PUBLICIDADE

Polícia Ambiental inicia Operação Corpus Christi em Mato Grosso do Sul

Portal de Notícias de MS em 11 de Junho de 2020

Divulgação

PMA emprega todo o efetivo nas ações de fiscalização

A Polícia Militar Ambiental iniciou nesta quinta-feira (11), a Operação Corpus Christi, com 290 homens em campo na operação preventiva e repressiva aos crimes e infrações ambientais no Estado. A  ação vai até às 08h de segunda-feira (15). O efetivo da PMA fará diligências nos rios, em barreiras nas estradas, fiscalização em propriedades rurais, locais de belezas naturais de prática de turismo cênico e de recreio e outras variáveis de interesse ambiental, para prevenir e combater infrações e crimes que possam degradar esses recursos naturais.

Serão quatro dias no feriado prolongado, que exige uma fiscalização intensiva, especialmente relativa à pesca predatória. A PMA possui 26 subunidades que estarão fiscalizando suas respectivas áreas, colocando, inclusive, o efetivo administrativo em campo.

Dentro da operação Corpus Christi, 90 Policiais estarão na fiscalização exclusiva às atividades que trabalham de alguma forma com recursos pesqueiros, na primeira fase de uma operação denominada “Big Fish”, a qual terá outras fases, que ocorrerão, conforme os levantamentos dos setores de inteligência das Unidades da PMA.

Nesta operação, a sede (Campo Grande) estará com equipes itinerantes agindo em todo território do Estado. A PMA espera um grande fluxo de turistas locais e de outros Estados, em especial, para a prática de pesca, apesar da pandemia. Portanto, a fiscalização será intensificada nos rios mais piscosos e atrativos para evitar a pesca predatória.

A PMA alerta, que o desrespeito à legislação pode levar os infratores a serem presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil para lavratura do auto de prisão em flagrante, podendo, se condenados, pegar pena de um a três anos de detenção. Além do mais, terão todo o material de pesca e mais motor de popa, barcos e veículos utilizados na infração apreendidos, além de serem multados administrativamente em um valor que varia de R$ 700,00 a R$ 100 mil, mais de R$ 20,00 por Kg do pescado irregular.

O objetivo da fiscalização é prevenir a pesca predatória, pois o trabalho da PMA é preventivo. A intenção não é prender as pessoas por pesca predatória e sim, evitar que ela seja praticada. Com todas estas informações, o desconhecimento não pode ser alegado.

Mais informações no site: www.pm.ms.gov.br.

PUBLICIDADE