PUBLICIDADE

Império do Morro encerra desfiles na passarela do samba

Leonardo Cabral em 25 de Fevereiro de 2020

Arte: Ricardo Albertoni/Diário Corumbaense

Império do Morro concorre ao prêmio Esplendor do Samba

Última agremiação a entrar na avenida General Rondon, na segunda noite de desfiles em Corumbá, a Império do Morro traz o enredo “Os Impérios Brasilis: a paixão verde e rosa pela pátria mãe gentil”.

E para contar toda a trajetória do País, a agremiação vem para a passarela do samba  com cerca de 1.090 componentes, divididos em 15 alas, que serão ritmados pelos 100 integrantes da bateria  comandada pelo mestre João Victor, e tem como rainha, Lucila Victório. A agremiação trará ainda cinco carros alegóricos.

A Império do Morro é uma das nove escolas de samba de Corumbá que irão concorrer na 11ª edição do Esplendor do Samba, que em 2020 irá indicar 3 nomes por quesito e melhor escola de samba durante as duas noites de desfile. O prêmio, instituído pelo jornal Diário Corumbaense tem o objetivo de homenagear aqueles que fazem o carnaval da cidade ser um dos maiores e mais animados do País.

Grêmio Recreativo Escola de Samba Império do Morro

Fundação: 1.958

Presidente: Daniel Chaim

Cores: Verde e rosa

Carnavalesco: Leandro Cavalheiro

Enredo: “Os Impérios Brasilis: a paixão verde e rosa pela pátria mãe gentil”.

Compositores do samba-enredo: Victor Raphael, Edu Chagas e Nino Smith

IntérpreteNino Smith

Número de componentes: 1.090

Número de alas15

Número de carros alegóricos: 5

Componentes da bateria100

Porta-bandeira: Annie

Mestre-sala: Juruna

Rainha da bateria: Lucila Victório

Mestre de bateria: João Victor

Local de ensaios: rua Frei Mariano esquina com a Porto Carrero

Colocação em 20198º lugar


Samba-enredo: “Os Impérios Brasilis: a paixão verde e rosa pela pátria mãe gentil”

Trombetas e tambores anunciam:

O Império Brasilis vai passar!

É Verde e Rosa a paixão dessa cidade

Minha coroa nunca perde a majestade

Caravelas e naus, vindas de Portugal

Aportaram pra brincar meu Carnaval.


Índio valente levantou

Quando o europeu colonizou

Nos tumbeiros que vieram de além-mar.

O negro é resistência do lugar


Miscigenação, aflorou neste chão

O povo do samba tem a cara do país.

É o retrato da nação.

Gigante, valente e feliz.

A fé que remove montanhas

Aromas que temperam o paladar

Venham pro cortejo, da mão peça um beijo.

Imperiano te conclamo para festejar

Tragam a sua bravura

Pela cultura popular vamos lutar.

Sentir o que sentimos, é nos libertar...

A monarquia te convida pra sambar...

Somos Império do Morro...

Nosso destino é conquistar.

PUBLICIDADE