PUBLICIDADE

Em Corumbá e Lima, flamenguistas celebram bi da Libertadores com muita festa

Leonardo Cabral em 23 de Novembro de 2019

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Flamenguistas foram para a principal avenida de Corumbá comemorar o título

Felicidade, emoção, garra. Essas são as três palavras que resumem o bicampeonato do Flamengo, na Taça Libertadores da América, para os corumbaenses. Sofrida, a partida foi decidida no final do segundo tempo com dois gols do artilheiro da competição, Gabigol, que terminou com nove gols durante toda a Libertadores.

Na General Rondon, principal avenida de Corumbá, cidade que é “reduto” da torcida rubro-negra, depois do jogo, os torcedores foram se aglomerando para comemorar o título esperado há 38 anos. Mas por toda a cidade havia grupos celebrando a conquista.

Os integrantes da Raça Rubro-Negra, Mato Grosso do Sul - 40ª região, acompanharam a partida na sede do Corumbaense Futebol Clube e depois saíram para a avenida, onde carros também circulavam e faziam buzinaço. Bandeiras, adesivos e até mesmo cartazes com as famosas frases: “Eu já sabia” e  “Hoje tem gol de Gabigol”, faziam parte da festa da maior torcida do mundo, conforme ranking da Federação Internacional de Futebol (FIFA), com 40 milhões de pessoas.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

José Katurchi falou que jamais deixou de acreditar no time

Suellen de Paula estava emocionada com a vitória do Flamengo. Conforme ela, se não tivesse sofrimento, não seria “gostoso saborear” o título. “Tenho 35 anos, eu vivi até aqui para ver esse momento que é maravilhoso e muito importante. Só quem é flamenguista sabe o que é celebrar o bicampeonato da Libertadores. Afinal, foram 38 anos de espera”, falou a torcedora eufórica.

Sem quase conseguir falar por conta da emoção, José Katurchi disse ao Diário Corumbaense que faltavam palavras para descrever o momento, sofrido, mas que jamais deixou de acreditar na virada do Flamengo.

“Foi sofrido, mas não desanimei e nem desacreditei do meu time. Nunca tinha visto o Flamengo ser campeão internacional e hoje, tenho essa glória. Quando levamos o gol, eu só ajoelhei e pedi muito, sabendo que a virada e vitória viriam. Só estava esperando o  momento de gritar bicampeão. Tinha a certeza do título, por tudo que o Flamengo fez este ano. Foi mais do que merecido”, disse José que ainda fez uma promessa: “o nome do meu filho será Jorge Jesus”, afirmou.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Torcida ficou eufórica com o apito final do jogo e saiu para celebrar a vitória

O torcedor Marcelo Bazan, também emocionado pelo momento vivido, falou que o importante foi levantar a taça. “Eles (River) dominaram todo o primeiro tempo, quando percebi me agarrei em minha fé e simplesmente pedi com toda força até que fui atendido. Somos campeões e tem que respeitar”, frisou.

Direto do Monumental de Lima

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Corumbaenses em meio aos 25 mil torcedores que foram a Lima assistir à final

O médico veterinário corumbaense, Luiz Arruda Mavignier Neto, que acompanhou o jogo no Estádio Monumental de Lima, no Peru, resumiu a conquista em uma frase: “valeu todo sacrifício que passei para estar aqui!”. Ele ainda fez questão de dizer que o sofrimento tomou conta durante toda a partida, mas que agora vive um dos momentos mais felizes de sua vida.

“É um momento inesquecível que estou vivendo agora. É muita emoção e posso dizer que agora eu sei que meu coração está 'em dia'. O adversário dominou toda a partida, o Flamengo não estava bem e ainda tinha tomado o gol logo no começo do jogo. A partida estava acabando e de repente veio o empate e logo em seguida a virada. Foi uma explosão de alegria. Valeu todo o sacrifício que passei para chegar aqui e celebrar esse dia especial”, relatou Luiz Arruda que foi sozinho para Lima após dias de apreensão por conta de protestos na fronteira, que permaneceu fechada por 21 dias, já que o caminho mais fácil para chegar até Lima, era saindo pela Bolívia.

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Direto do Monumental de Lima, corumbaense Luiz Arruda disse que momento vivido lá é inesquecível

Gols

Após uma partida dominada pelo River Plate na maior parte do tempo, o time carioca não desistiu e correu atrás do resultado, dando alegria para a sua torcida.

Assim como Zico em 1981, quando fez os dois gols da vitória por 2 a 0 na final contra o Cobreloa, em Montevidéu, no Uruguai, Gabigol foi o herói em 2019 ao construir a virada por 2 a 1 nos minutos finais. O artilheiro rubro-negro definiu o jogo em três minutos, aos 43 e 46 do segundo tempo.

Fim de semana pode ser ainda mais glorioso

No mesmo final de semana em que conquistou a Libertadores, o Flamengo pode confirmar o título do Campeonato Brasileiro mesmo sem entrar em campo. Segundo colocado, o Palmeiras enfrenta o Grêmio às 16h (de Brasília), na Arena Palmeiras, e se não vencer não poderá mais alcançar o Rubro-Negro matematicamente.

PUBLICIDADE