PUBLICIDADE

OEA recomenda 2° turno na Bolívia mesmo com diferença de 10% entre os candidatos

Leonardo Cabral em 23 de Outubro de 2019

Arquivo El Deber

Candidatos Carlos Mesa e Evo Morales, que disputa o quarto mandato

O relatório da missão da Organização dos Estados Americanos (OEA), apresentado nesta quarta-feira, 23 de outubro, em La Paz, pela equipe que acompanhou domingo as eleições no país, recomenda a realização de um segundo turno do pleito, mesmo se o atual presidente Evo Morales, conseguir diferença de 10% para o segundo mais votado, Carlos Mesa. 

O ex-chanceler da Costa Rica, Manuel Gonzales, chefe da missão de observação da OEA, leu o documento dizendo: “neste momento, com 96,78% dos votos computados, a apuração definitiva marca uma diferença de 9,48% entre os candidatos mais votados (Evo Morales e Carlos Mesa), ou seja, tudo indica para um segundo turno. Caso, após o cálculo, a margem de diferença seja superior a 10%, é estatisticamente razoável concluir que será uma porcentagem muito pequena. Devido ao contexto e problemas evidenciados nesse processo eleitoral, continuaria sendo a melhor opção para convocar uma segunda disputa no segundo turno do pleito”.

Reprodução/ Eldeber

Manuel Gonzales, chefe da missão de observação da OEA na Bolívia

O relatório também apontou que os resultados de uma eleição devem ser credíveis e aceitáveis para toda a população, não apenas para um setor. 

Ao jornal El Deber, Manuel Gonzales disse que preferia não opinar se de fato houve ou não a fraude, suspeita de grande parte da população, o que motivou conflitos e mobilizações em várias cidades da Bolívia, inclusive na região de fronteira com Corumbá, onde o tráfego de veículos entre os dois países está bloqueado, além do fechamento do comércio e de repartições públicas e privadas a partir da tarde desta quarta-feira (23). Com informações El Deber.

PUBLICIDADE