PUBLICIDADE

Promotor diz que brasileira estuprada em prisão da Bolívia, também foi vítima do tráfico de pessoas

Leonardo Cabral em 26 de Abril de 2019

Reprodução/ El Deber

Investigações apontam que Eva foi vítima também de tráfico de pessoas para fins de exploração sexual

A Brasileira Eva C. A., presa na Bolívia e violentada por policiais daquele País dentro da prisão de Rurrenabaque, em Beni, chegou ao país andino, traficada. Conforme o promotor de Justiça, Orlando Aramayo, Eva teria sido levada para o país para fins de exploração sexual. Ainda segundo ele, um novo processo de investigação deve ser aberto no caso que envolve a mulher.

Orlando revelou que diante dessas suspeitas, de quatro pessoas supostamente envolvidas, três foram detidas, e o quarto é procurado. Ele explicou que no decorrer das investigações serão anunciados os requerimentos finais do caso que envolve Eva.

Em março deste ano as investigações apontaram que oito policiais foram acusados de estuprar a brasileira, que estava detida preventivamente na prisão de Rurrenabaque.

Após denúncias, no dia 20 de março, Eva foi colocada em liberdade. A ordem de soltura foi dada pelo juiz Raúl Zárate. Ela cumpria pena de três anos (estava detida há um ano). Neste intervalo de tempo, a mulher denunciou que foi vítima de estupro, cometido por oito policiais bolivianos que permanecem presos e aguardam decisão judicial sobre o caso na mesma prisão em que Eva esteve. Com informações do jornal El Deber. 

PUBLICIDADE