PUBLICIDADE

Gaeco faz operação para prender suspeitos de corrupção na Secretaria de Assistência Social de Ladário

Rosana Nunes e Leonardo Cabral em 25 de Fevereiro de 2019

Diário Corumbaense

Alvo de operação Terra Branca II é a Secretaria de Assistência Social de Ladário

Pela segunda vez em três meses, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público de mato Grosso do Sul, realiza em Ladário, cidade vizinha a Corumbá, operação de combate à corrupção, peculato, falsidade e organização criminosa na Secretaria Municipal de Assistência Social.

A Operação Terra Branca II, foi desencadeada nesta segunda-feira (25) para cumprir quatro mandados de prisão e 14 mandados de busca e apreensão na cidade ladarense e no Rio de Janeiro. Ainda não há mais detalhes sobre a operação, mas equipes do Gaeco estão na sede da Prefeitura de Ladário, na Secretaria de Assistência Social e em outros pontos.

A promotora de Justiça e coordenadora do Gaeco, Cristiane Mourão, acompanha o cumprimento dos mandados. 

Leonardo Cabral/Diário Corumbaense

Equipe do Gaeco entrando na sede da Prefeitura de Ladário

Mensalinho

Em 26 de novembro de 2018, o Gaeco prendeu o prefeito afastado de Ladário, Carlos Ruso, o ex-secretário de Educação, Hélder Botelho e mais sete vereadores, acusados de crimes de associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva. O caso ficou conhecido como "Mensalinho". O prefeito, segundo o MPE, pagava valores mensais aos vereadores em troca de apoio político. Todos continuam presos em Campo Grande, exceto uma vereadora, pastora Lilia, que está em prisão domiciliar.  

Ainda não há informação se a operação de hoje tem relação com o "mensalinho".

PUBLICIDADE