PUBLICIDADE

Pesque e solte está liberado no rio Paraguai, mas Piracema vai até o final de fevereiro

Rosana Nunes em 01 de Fevereiro de 2019

Divulgação/PMA

PMA reforça a fiscalização na área liberada para o pesque e solte

A partir desta sexta-feira, 1º de fevereiro, o pesque e solte está permitido no rio Paraguai. A pesca está proibida desde 05 de novembro para a reprodução dos peixes. O período da piracema, vai até 28 de fevereiro, com a atividade pesqueira sendo liberada em 1º de março.

Equipes da Polícia Militar Ambiental irão reforçar a  fiscalização na calha do rio Paraguai, bem como nos rios da bacia, para evitar a pesca, tendo em vista que a permissão do pesque e solte é só para o leito do rio Paraguai. Quem for flagrado "matando" o peixe, será preso por pesca predatória. Equipes da PMA estarão na região do Porto Geral, de onde sairão as embarcações pesqueiras com os turistas, para trabalho de orientação. 


À exceção do pesque e solte na calha do rio Paraguai, a PMA informa que a única pesca permitida neste período na bacia do Paraguai e nos rios de domínio do Estado na Bacia do Paraná, é a pesca de subsistência para o ribeirinho. Ele pode capturar 3 quilos ou um exemplar, respeitando as medidas permitidas, porém, não pode comercializar em hipótese alguma. 

A PMA reforça às pessoas que vão descansar em ranchos e locais às margens dos rios, que respeitem a legislação. Infratores podem ser presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil para lavratura do auto de prisão em flagrante, podendo, se condenados, pegar pena de um a três anos de detenção. Além disso, todo material de pesca e mais motor de popa, barcos e veículos utilizados na pesca irregular são apreendidos. Há ainda multa administrativa cujo valor varia de R$ 700,00 a R$ 100 mil, mais R$ 20,00 por quilo do pescado irregular. Com informações da PMA

PUBLICIDADE