Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
14 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

LEC ainda não se posicionou sobre municipalização do estádio Arthur Marinho

Ricardo Albertoni em 09 de Agosto de 2017

Arquivo Diário/Anderson Gallo

Palco dos dois títulos estaduais do Galo Pantaneiro, pode ficar fora dos planos se não houver entendimento entre a LEC, dona da praça esportiva, e a Prefeitura

A Prefeitura de Corumbá e a LEC (Liga de Esportes de Corumbá) ainda não chegaram a uma definição sobre a situação do estádio Arthur Marinho. Faltando aproximadamente seis meses para o início da temporada mais importante do Corumbaense Futebol Clube, a torcida ainda não tem certeza de que irá assistir aos jogos nas arquibancadas da tradicional casa do Carijó da Avenida.

O estádio, palco dos dois títulos estaduais do Galo Pantaneiro, que vai disputar em 2018  a Copa do Brasil, a Série D do Campeonato Brasileiro e a Série A do Estadual, pode ficar fora dos planos se não houver entendimento entre a LEC, dona da praça esportiva, e a Prefeitura, que administra o estádio através de convênio firmado em 27 de dezembro de 2007, na primeira gestão do prefeito Ruiter Cunha.

Esse convênio tem duração de 10 anos, ou seja, termina no final de 2017. Uma vez encerrado, a legislação exige que todas as benfeitorias realizadas pela Prefeitura no local sejam retiradas. Isso inclui o placar eletrônico, cadeiras, carrinho-maca e todos os demais equipamentos usados para manutenção da praça esportiva.

A Prefeitura já manifestou à LEC a intenção de receber definitivamente o estádio e dotá-lo da infraestrutura necessária para receber esses e outros grandes eventos esportivos. Inicialmente, o Município vai realizar a troca de todo o gramado, do alambrado e a cobertura da arquibancada descoberta. Num segundo momento, será construída mais uma arquibancada atrás de um dos gols, ampliando a capacidade para os torcedores. Sem as adequações, o Arthur Marinho não pode receber os jogos nacionais.

Sozinha, a Prefeitura também não tem condições de realizar as alterações necessárias. Por isso, o prefeito Ruiter Cunha, já buscou apoio das bancadas Estadual e Federal para assegurar recursos para as obras no estádio, além do Governo do Estado. Mas, para que esses valores possam ser investidos no Arthur Marinho, o estádio precisa ser doado à Prefeitura, uma vez que a legislação não permite a destinação de emendas parlamentares para prédios ou áreas particulares.

Como contrapartida, a Prefeitura de Corumbá ofereceu patrocínio total ao tradicional Campeonato Amador organizado pela LEC durante os próximos anos. Isso inclui assumir todos os gastos com arbitragem e premiações e a permanência sede da Liga no próprio estádio.

Ricardo Albertoni

Apesar de já ter se reunido com prefeito, presidente da Liga disse que aguarda que a Prefeitura formalize o pedido de municipalização

Na noite de terça-feira (08), houve reunião da diretoria da LEC com os presidentes das associações que integram a entidade. O presidente da Liga, Leôncio Ribeiro Raldes informou que a situação do estádio não foi discutida e que a Liga aguarda que a Prefeitura formalize sua posição para que a conversa seja iniciada. "Por enquanto só sabemos de informações através da imprensa e estamos aguardando ser citados pelo Poder Público através de ofício para ter uma resposta e poder passar para os diretores de clubes o que está ocorrendo, saber o que a Prefeitura, a Funec, o que eles querem. Estamos aguardando que a Prefeitura formalize sua proposta”, disse Leôncio.

Porém, a assessoria da Prefeitura informou ao Diário Corumbaense, que a diretoria da LEC já foi recebida em audiência pelo prefeito para tratar do assunto. No encontro, foram apresentadas as propostas em relação à municipalização do estádio e ficou decidido que a formalização do pedido aconteceria após reunião marcada pela Liga, entre diretoria, representantes dos clubes e do Município para esclarecimento de dúvidas. A Prefeitura aguarda posicionamento da LEC se haverá ou não esse encontro, para posterior envio da solicitação formal, uma vez que, segundo a assessoria, os dirigentes estão totalmente cientes de qual é o entendimento do Município em relação à administração do estádio Arthur Marinho.

Enquanto a situação não se resolver, o torcedor corumbaense pode não ver o time do coração disputando as competições nacionais em casa. Se isso acontecer, os jogos do Corumbaense podem ser disputados no Douradão, em Dourados, ou no Morenão, em Campo Grande.

Ações e Compartilhamento
Comentários:

Edivaldo Medeiros: Isso é uma tremenda falta de profissionalismo e falta de respeito com nossos torcedores que levamos renda e alegria ao estádio. Uma liga que não faz nada para manter o estádio em minimas condições possiveis. Tem que colocar pessoas sérias para cuidar do nosso estádio que é um patrimônio da população Corumbaense e não de fulano e cicrano. Só esperamos que isso se resolva o quantos antes.

Gerson Marques: Por favor senhores, A reportagem mostra a falta de um pouco de entendimento entre as partes. Quero crer que isso nao sera motivo para que um dos maiores trunfos do time, sua torcida perto, lhe seja tirado. Deixemos o orgulho de lado e sejamos sinergicos. A cidade e os torcedores agradecem.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE