PUBLICIDADE

Liesco ratifica grupo único para carnaval de 2014

Lívia Gaertner em 15 de Fevereiro de 2013

Com o resultado do carnaval 2013, o presidente da Liesco (Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá), Enilde Vital da Costa, avaliou os dois dias de desfile das agremiações. Para ele, o novo percurso da passarela do samba foi aprovado pelo público que ganhou mais uma quadra ao longo da avenida General Rondon. "Mudança de percurso foi positivA no sentido de que o público, parte mais importante para a Liesco, aceitou e ficou muito bem acomodado, principalmente os idosos, os cadeirantes que tiveram lugar reservado para eles", disse.

Com relação aos dois recuos (XV de Novembro e Major Gama), ele avaliou que as escolas apesar de não utilizarem o recurso, buscaram apresentar algo diferenciado para o público naquele trecho. "O segundo recuo não era obrigatório fazer, mas muitas delas fizeram ali uma apresentação legal", disse ao revelar uma novidade que deve vir para o próximo ano. Segundo ele, houve a sugestão de uma escola em fazer um recuo inicial na abertura do desfile, mantendo o recuo tradicional na rua XV.

Enilde garantiu que será cumprido o que está determinado no regulamento deste ano, ou seja, que em 2014, a competição ocorrerá entre as dez escolas num único grupo, extinguindo assim os grupos de Acesso e Especial. "Essa mudança está dentro do regulamento, tem lista de presença de todos. Em 2014, estarão as dez escolas num único grupo concorrendo a oito vagas para 2015. Há um bom tempo de preparação, da mesma forma que aconteceu quando criamos os grupos de Acesso e Especial, começamos em 2005 essa ideia, porém o Grupo de Acesso só começou a valer em 2007", disse ao justificar que a mudança dará maior competitividade entre as entidades.

Anderson Gallo/Diário Online

Presidente destacou que Liesco terá muito trabalho ao longo deste ano

"Pela projeção quem recebeu 37 mil hoje poderá receber 60 ou até 70 mil, mas isso vai depender das nossas promoções, eventos que formos fazer", disse o presidente, ressaltando que todas deverão receber valores aproximados para realizarem uma competição igualitária.

Ele pontuou que os trabalhos da Liga não terminam com o carnaval, pelo contrário, continuarão ao longo de todo o ano, buscando incrementar os desfiles. "Teremos mais trabalho do que esse agora. A gente tem o pé no chão e sabe o que pode conseguir pra frente e não ficar estagnado como estávamos. Não que a Liesco não tivesse feito nada, mas ela sempre dependeu de verba pública", comentou.

Questionado sobre a opinião da Liesco em relação à construção de um sambódromo em Corumbá, ele avaliou que a proposta precisa ser debatida. "A Liesco tem a opinião de que o sambódromo tem um custo muito alto, ele não pode ser construído simplesmente para o desfile das escolas de samba. O ano todo ele tem que gerar empregos e renda para o próprio sambódromo e para as entidades que a estiverem administrando. Ele tem que ser melhor estudado. Não seria propriamente um sambódromo, mas um centro de convenções como já estão denominando esses espaços pelo país, mas isso tem que ser bem estudado e discutido", disse ao lembrar daquilo que considera uma necessidade urgente das agremiações.

"O mais urgente para as entidades é a construção de barracões. Tendo o local onde possa abrigar as dez escolas de samba para ter eventos, para os carros serem abrigados como praticamente uma sede das escolas de samba, vai criar um vínculo maior entre elas, deixando rivalidades desnecessárias", disse ao Diário o presidente, ao afirmar que assim que for realizada a reunião de prestação de contas entre os representantes das agremiações que integram a Liga, será marcada uma reunião com a Prefeitura para programar o próximo carnaval das escolas de samba.

 

Comentários:

Elaine Martins: eu e tenho certeza que muitas pessoas não concordaram com disposição dos camarotes por todo o percurso da avenida, este ano o carnaval de corumba foi destinado aos ricos com seus camarotes vazios ,cheios de espaço para dançar e curtir o carnaval de boa. Achei injusto com a população corumbaense e com o publico em geral, pois a calçada é estreita e com cadeiras de populares estava muito espremido para permanecer no local, ou mesmo transitar pela mesma...#@REVOLTADA#, Peço que estudem melhor este assunto, não estraguem o nosso carnaval

carlito reis: Isso ai meu povo vamos lutar pra conseguir uma passarela do samba e curtir 5 dias de fulia com muito espaço e passrmos 365 dias tendo q entrar nesse maravilhoso terminal de ônibus que é uma vergonha pra todos...

Wilson Oliveira: A mudança de competição única entre todas as escolas seria mesmo a melhor proposta para o carnaval de Corumbá? Se isso fosse algo muito bom, como estão falando, será que o grande carnaval que é realizado no Rio já não teria passado por essa mudança ??? Não acredito que trará mais qualidade para o carnaval corumbaense. Sem falar que a escola que ficar em último lugar será penalizada pelo prazo de um ano sem desfilar. Esse negócio de "tudo junto e misturado" poderá desmotivar várias agremiações. Muitas farão um desfile "meia boca". Acho desleal esse processo de avaliação com as escolas que lutam para sair do grupo de acesso para o especial e quando conseguem mudam tudo. Nunca vi esse método aplicado nas escolas do Rio e São Paulo. A competição entre os grupos era incentivo para melhorar a apresentação das escolas na avenida. Será mesmo que o carnaval de Corumbá continuará como o melhor do Centro-Oeste? Em 2013 já houve um grande descaso com o Carnaval Cultural, será que ano que vem será com as escolas de samba??? O que merece atenção é acesso dos foliões à avenida com mais arquibancadas, melhorias na praça de alimentação, segurança, mais banheiros (banheiros limpos - os do Jardim da Independência estavam transbordando, sem limpeza diária). Cada ano que passa as escolas dão show na avenida contribuindo para a elevação do carnaval corumbaense, mas quem garante esse espetáculo são os foliões que prestigiam tudo isso, garantindo assim o sucesso do evento. Mudanças sempre são bem vindas, resistências sempre acontecerão, mas esta estratégia não seria muito radical???? ;(

João Bosco Atagiba: Eu mudei da minha querida Corumbá,fazem 34 anos e conheço o carnaval daí muito bem.Já desfilei práticamente em todas as entidades carnavalescas,incluindo alguns cordões,daí,eu poder opinar sôbre o nosso carnaval.É preciso,realmente,que a direção da Liesco,reveja essa idéia de ter todas as escolas num grupo só.O acesso e descenso,é necessário,para haver competitividade,entre as escolas de samba,senão,tudo perde a graça,ok?Agora,o presidente da Liesco,dizer que não é necessário um sambódromo em Corumbá,isso é uma piada,falta de visão,gente;se Corumbá luta para continuar sendo o melhor carnaval do Centro Oeste,então,construa o sambódromo,utilize no período carnavalesco,e após o mesmo,faça o que o governo do Rio faz:use para a educação,ok?O povo corumbaense,já foi muito humilhado em outros governos,portanto,está na hora de cobrar grande mesmo,não deixando a peteca cair.Os comentários acima,tem razão:dẽ oportunidade para os comerciantes de Corumbá,e utilize também,a mão de obra daí mesmo,pois sai mais barato.Eu mudei daí,mas,eu acompanho todos os acontecimentos,24hs.por dia,pois eu amo essa cidade,e sou corumbaense da gema com muito orgulho.É como diz a Alcione,"Não deixe o samba morrer,não deixe o samba acabar".Essa estrofe da música vai para a direção da Liesco,para os políticos da região,e,principalmente para o prefeito Paulo Duarte,e sua equipe:NÃO DEIXE O CARNAVAL DE CORUMBÁ ACABAR.CUIDADO COM ESSAS MUDANÇAS.S A M B Ó D R O M O JÁ,SENHOR PREFEITO.

PUBLICIDADE