PUBLICIDADE

Conselho de Farmácia faz ação de descarte correto de medicamentos e eletrônicos em Corumbá

Leonardo Cabral em 23 de Setembro de 2021

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Drive acontece na Avenida General Rondon e segue até às 17h de hoje

Nesta quinta-feira, 23 de setembro, o Drive Thru de Descarte Correto de Medicamentos e Eletrônicos está na Praça Generoso Ponce, na avenida General Rondon, em Corumbá. A ação, que acontece em comemoração ao mês do farmacêutico e é realizado pelo CRF/MS (Conselho Regional de Farmácia de MS), em parceira com a Prefeitura, por meio da Fundação do Meio Ambiente do Pantanal.

Ao Diário Corumbaense, o presidente do CRF/MS, Flávio Shinzato, disse que com o descarte incorreto, pode não parecer, mas é prejudicial à saúde e também ao meio ambiente. Por estarem localizadas na região do Pantanal, Corumbá e Ladário foram escolhidas para a realização desse trabalho de conscientização junto aos moradores.   

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Presidente do CRF/MS, Flávio Shinzato, explicou o que pode acontecer em caso de descarte incorreto de medicamentos

“Fazemos ações sociais junto a comunidade e uma delas é o drive thru de coleta de medicamentos vencidos e não utilizados. Temos a lei estadual que fala sobre o recolhimento compulsório dos estabelecimentos em Saúde e farmácias, é uma lei que demora para que as pessoas tenham a consciência, por isso fazemos essa ação social junto com as Secretarias dos Municípios, para que possamos ter essa conscientização, para não jogar o medicamento em lixo comum, em pias, pois ele é uma substância química é um lixo especial, então, traz prejuízos muito mais do que o papelão, alumínio, o plástico, pois essa substância química contamina o solo e volta para a gente pelos alimentos. Também contamina a água, lençóis freáticos, porque o sistema de tratamento de água potável não consegue retirar essas substâncias dissolvidas na água”, explicou Flávio Shinzato ao Diário Corumbaense.

Ele ainda frisa que com o descarte incorreto, “o medicamento se torna nocivo à saúde, quando jogado no lixo  comum. Ele é medicamento quando estamos usando de forma correta, na hora que é usado de forma incorreta e descartado, se torna um veneno. O que muda entre o remédio e um veneno, é a dose e o modo de usar, então, descarte do medicamento faz parte disso também, se fazemos de maneira correta, não vamos contaminar o solo, água, e não estamos prejudicando nossa saúde no futuro, por isso descarte correto tem que ser parte da consciência da população”, completou.

Engajada também, a Fundação de Meio Ambiente do Pantanal aproveita a ação para fazer o recolhimento de lixo eletrônico, que, se jogado em qualquer local, pode causar danos ao meio ambiente e é prejudicial à saúde do homem também. “Aproveitamos a parceria e estamos aqui recebendo esses materiais eletrônicos. Já fazemos isso diariamente no nosso Ecoponto e também na própria Fundação, que recebe esse lixo eletrônico”, pontuou Wandir Navarro Arriaza Chaves, do Núcleo de Educação Ambiental da Fundação do Meio Ambiente em Corumbá.

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Eletrônicos também são recebidos no drive

Vale destacar que qualquer tipo de medicamento pode ser descartado no recipiente adequado. Quanto aos eletrônicos, a Recic.LE receberá televisores inteiros, computadores, celulares, impressoras, telefones, calculadoras, teclados, som, entre outros. Na parte dos eletrônicos não podem ser descartados pilhas, lâmpadas, tubo de TV, toner de impressoras ou produtos desmontados.

A ação em Corumbá segue até às 17h. Já nesta sexta-feira, 24 de setembro, o drive thru acontecerá em Ladário, na praça 2 de Setembro, na avenida 14 de Março, das 08h às 17h. 

Atenção

Uma pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio do Instituto Datafolha, em 2019, apurou qual é a forma mais usual de descarte dos medicamentos que sobram ou vencem, e 76% dos entrevistados indicaram maneiras incorretas para a destinação final desses resíduos.  Nas Regiões Centro-Oeste/Norte, o porcentual é ainda maior, 85%. O índice somente é superado pelo apurado na Região Nordeste, 87%. Nas regiões Sudeste e Sul os porcentuais foram de 75% e 53%, respectivamente. Pelos resultados da pesquisa, a maioria da população descarta sobras de medicamentos ou medicamentos vencidos no lixo comum. Quase 10% afirmaram que jogam os restos no esgoto doméstico (pias, vasos sanitários e tanque).

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Moradora entregando medicamentos no ponto de recolhimento

A pesquisa constatou ainda que a automedicação é um hábito comum a 77% dos brasileiros que fizeram uso de medicamentos nos últimos seis meses anteriores ao estudo. Quase metade (47%) se automedica pelo menos uma vez por mês, e um quarto (25%) o faz todo dia ou pelo menos uma vez por semana. Na região centro-oeste/norte este índice sobe para 80%, nordeste fica em 79%, sudeste (77%), sul (71%).

PUBLICIDADE