PUBLICIDADE

Após focos controlados, Prevfogo e Bombeiros monitoram BR-262

Leonardo Cabral em 27 de Julho de 2021

Diário Corumbaense

Com incêndio invadindo rodovia, BR-262 foi interditada por algum tempo ontem

Com 518 focos de queimadas registrados este ano, Corumbá ocupa a segunda posição entre as cidades com maior número de queimadas no País, conforme o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Só na segunda-feira, 26 de julho, equipes de brigadistas do Prevfogo, atuaram no combate a incêndio em vegetação em uma área a cerca de 30 km da área urbana de Corumbá, na BR-262.

O fogo, que se alastrou de uma margem para a outra da rodovia, foi de grande proporção. Extinto, o incêndio chegou a provocar a interdição da BR-262. Foram mais de 12h de trabalho, que teve início na tarde de ontem, por volta das 14h e terminou, com o retorno das equipes, às 03h de hoje. A interdição foi necessária para resguardar a segurança dos motoristas, já que além do forte calor, a visibilidade foi bastante prejudicada devido a fumaça. 

Nesta manhã, equipe do Prevfogo realiza a última fase de combate ao incêndio, que é a vigilância. Conforme, Bruno Águeda, supervisor de brigada em Mato Grosso do Sul do Prevfogo, esse tipo de ação é necessária, ainda mais devido a situação climática desta terça-feira.

“Como está ventando muito na região e lá na área queimada tinha muito material lenhoso, essa vigilância é feita para não termos a probabilidade de esse braseiro voltar e pegar fogo. Além dos brigadistas do Prevfogo, tivemos apoio dos bombeiros da Vale e também da empresa Vetorial, com caminhões pipas e brigadistas, bem como uma equipe da PRF esteve no local durante a interdição da BR-262”, explicou ao Diário Corumbaense.

Diário Corumbaense

Brigadistas no local, realizando o combate ao fogo

Ao todo, foram utilizados cerca de 110.000 litros de água no combate ao fogo. Dois caminhões pipas estavam dando apoio também no combate ao incêndio, que contou com a presença de uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar.

Ainda segundo o INPE, do total de número de focos de calor, só no mês de julho, Corumbá contabilizou 360 focos de queimadas. Um dos grandes fatores que contribuem para os incêndios, além a falta de conscientização por parte de alguns, é a vegetação seca nesta época do ano, propício para provocar grandes incêndios.

Na segunda-feira, Corumbá registrou umidade relativa do ar de 22%, sendo que o ideal, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é que varie entre 50% e 80%. Quando os níveis estão entre 20% e 30%, as regiões entram em estado de atenção.

PUBLICIDADE