PUBLICIDADE

Vereador cobra mais rigor contra donos de imóveis e terrenos que colocam a saúde da população em risco

Da Redação em 09 de Dezembro de 2019

Divulgação

Lixo acumulado em terreno baldio

Maior rigor contra proprietários de imóveis que, devido às más condições de conservação, colocam em risco a saúde da população, é o que está pedindo o vereador Haroldo Cavassa. A reivindicação ocorreu por meio de requerimento apresentado na Câmara Municipal, direcionado ao secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Ricardo Ametlla, com cópia ao prefeito Marcelo Iunes.

Haroldo observou que seja aplicada, de forma efetiva, a Lei Municipal n° 2.551/2016, que disciplinou e autorizou o Município a aplicar sanções aos proprietários de imóveis, principalmente terrenos baldios, que estejam em condições precárias de conservação, necessitando de limpeza, remoção de entulhos, lixos e possibilitando a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, chikungunya, febre amarela e zika vírus.

“Estamos no início do período de chuvas em nossa cidade, que junto ao calor intenso e a sujeira, são fatores que contribuem para a proliferação do mosquito transmissor dessas doenças. É dever de todos os proprietários de imóveis em Corumbá, manter a conservação de suas áreas internas, para evitar a proliferação do mosquito”, explicou.

Por isso mesmo, o vereador fez a solicitação à Prefeitura, pedindo o cumprimento da legislação, aplicando sanções e multas àquelas pessoas que estão em desacordo quanto à manutenção e limpeza de suas propriedades e terrenos. "A prevenção ainda é o melhor caminho para evitar essas doenças, e o envolvimento do poder público, da sociedade civil e da população em geral, será fundamental para o sucesso e erradicação dessas doenças em nossa cidade”, completou.

Placas de identificação

Também à pasta de Infraestrutura e ao diretor da Agetrat, Alexandre Vasconcellos, o vereador está pedindo a instalação de placas de identificação das ruas e avenidas em toda a área urbana de Corumbá, importante para melhor orientação da população.

“Muitas placas estão apagadas, outras difíceis de detectar à primeira vista, isso quando existem. Além disso, não existe indicação da numeração das quadras, o que é de suma importância para quem não conhece bem a cidade, ou até mesmo para o morador que não costuma transitar com frequência por outros bairros”, explicou.

“As placas de sinalização de logradouros devem ser um exemplo também de estética, informação e visibilidade, valorizando as ruas da nossa cidade que é turística. Sugerimos ainda, que nos casos de existência de terrenos nas esquinas, sejam colocadas placas verticais para melhor orientação”, concluiu. As informações são da assessoria de imprensa

PUBLICIDADE