PUBLICIDADE

Corrida de Trilha exigiu concentração e preparo físico de mais de 500 atletas

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 17 de Novembro de 2019

Divulgação/PMC

Prova foi disputada na tarde de sábado

Mais de quinhentos atletas participaram, na tarde de sábado, 16 de novembro, da Corrida de Trilha do Eco Pantanal Extremo 2019. O sol, que bateu a casa dos 40 graus Celsius, foi mais um grande adversário dos corredores, mas não o único. O percurso, formado por trechos de pista, picadas no meio da mata fechada, lama, água e extenuante escadinha do Mirante da Capivara, exigiu muita concentração e preparo físico dos competidores.

“Já vim em todas as edições. Ganhei três anos seguidos. E esse ano vim para brigar pela prova e deu tudo certo de novo. É uma corrida que me dou muito bem nela, apesar de não me preparar pra esse tipo de terreno. Agradeço a organização, que hoje foi muito eficaz, e no final o menino que estava junto comigo sentiu e acabou dando tudo certo pra mim”, avaliou Vilmar Roberto Dias, campeão dos 12 quilômetros.

“Essa é a prova mais difícil que eu participo. Eu fecho meu ano no Pantanal Extremo, fecho o ciclo, e agora já penso no ano que vem. Essa proba é estratégica. Não é velocidade, não é resistência, é estratégia pura”, completou um dos maiores expoentes da corrida de rua no Mato Grosso do Sul. “Gosto muito de correr em Corumbá, sempre venho aqui e o pessoal me recebe muito bem, graças a Deus”, finalizou.

Vilmar completou os 12 quilômetros em 49 segundos e 13 centésimos. A segunda colocação ficou com André Rodrigues do Nascimento, com o tempo de 49’14; a terceira com José Carlos Junior Simão, com 49’32; a quarta foi de Magnum Marcelo Rodrigues, com 49’35; e a quinta colocação, fechando o pódio, foi de Janderson Lima de Souza, com 53’39. Todos os que subiram no pódio fizeram um ritmo menor que 5 minutos por quilômetro.

Divulgação/PMC

Atletas enfrentaram o calor e percurso desafiador

Entre as mulheres, a grande campeã do percurso mais longo foi Rosinha Conceição. Ela concluiu a prova em 1 hora, 4 minutos e 10 segundos. “Com essa são quatro primeiras colocações e uma segunda. Esse ano mudou o percurso, deu um up e ficou bem melhor de correr”, comentou a atleta, que é de Campo Grande. “O sol foi mais difícil, achei esse ano bem mais calor. A organização foi boa, a distribuição de água também, excelente. Não faltou hidratação pra ninguém”, disse a campeã.

A segunda colocação ficou com Marleyde de Fátima Costa, com o tempo de 1’06’00; a terceira foi Natalia Duarte, com 1’06'52; Rode Virginio Chaparro, com 1’11’09 foi a quarta; e Anna Paula Capitel, com 1’12'00, completou o pódio na quinta colocação. 

Nos 6 quilômetros masculino, o campeão foi Lucas Soares do Nascimento. Ele concluiu a prova em 20’36. O segundo foi Leonardo Moraes, com o tempo de 20’42; o terceiro foi Idivan Proença Simão, com 23’21; Henrique Oliveira da Silva foi o quarto com 24’02; e Josué Quintana o quinto com 24’09.

“Essa é a segunda vez que participo do Eco Pantanal Extremo. Na primeira fiquei em segundo e agora, graças a Deus, fui campeão”, comentou o atleta de Campo Grande. “Os 6 km foi muito massa, um percurso desafiador, usamos bem a estratégia e consegui ganhar a prova no final. As escadas (do Mirante) foi o trecho mais difícil, junto com o percurso de lama. Ano que vem estarei aqui de novo para defender meu título”, completou.

Entre as mulheres, a campeã foi Roberta Lima, com tempo de 27’52. Andreia Mendonça foi a segunda com 28’06; Camila Pyramo Araújo a terceira com 31’45; Juliana Paula Reis a quarta, com 32’06; e Jeice Martins de Freitas a quinta com 32’21. “Sou de Campo Grande e essa é a primeira vez que participo do Eco Pantanal Extremo. Estava bem balizado, com um percurso bem desafiador”, resumiu a campeã, que saiu há pouco tempo de uma licença maternidade.

PUBLICIDADE