PUBLICIDADE

Ponte da Sete vira “tela ao ar livre” para relembrar brincadeiras e personagens da infância

Leonardo Cabral em 08 de Outubro de 2019

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Artistas plásticos sempre se utilizam do espaço para fazer homenagens e retratar "doces" lembranças

Uma homenagem às crianças e que acaba também colorindo e embelezando a cidade. Quem passa pela rua Sete de Setembro, mais precisamente em frente a “Ponte da Sete”, localizado entre as ruas Joaquim Venceslau de Barros e Gonçalves Dias, pode recordar as brincadeiras de infância e até mesmo de alguns personagens, que hoje são difíceis de serem exibidos nas telinhas.

O trabalho a céu aberto é dos artistas plásticos Jamil Canavarros, Helker Ernany Correa, Rodney de Oliveira Santos, mais conhecido como “Rude” e Jovani Moraes. O objetivo é embelezar a cidade e homenagear as crianças e até mesmo os adultos que um dia, puderam desfrutar dessas brincadeiras, hoje, retratadas na “Ponte da Sete”.

“Sempre nos juntamos e fazemos isso em lugares que nos oferecem uma tela a céu aberto. Aqui antes, tínhamos feito um trabalho sobre a Copa do Mundo, mas como o Brasil perdeu, demorou um pouco, mas resolvemos fazer essa homenagem para as nossas crianças e também àquelas pessoas que um dia vivenciaram tudo isso. Retratamos brincadeiras antigas e personagens que marcaram a história dos desenhos animados e que são lembrados até hoje, porém difíceis de serem exibidos”, explicou o artista plástico Jamil Canavarros ao Diário Corumbaense.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Jamil Canavarros disse que desta vez as homenagens são para as crianças

"Os meses de setembro e outubro são dedicados às crianças. Tivemos o tradicional São Cosme de São Damião e agora também se aproxima a festa de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil e o Dia das Crianças. Usamos a imaginação e a nossa forma de trabalho, para possibilitar um novo visual, deixando esse local, antes conhecido pela criminalidade, mais bonito e com cara nova. A tinta em si já traz uma energia boa para as pessoas. Renova o ambiente, traz a sensação de alegria e de pureza como as nossas crianças são”, completou Jamil frisando que o ideal em sua visão, era a cidade toda colorida. “Um sonho que tenho”, revelou.

Entre as imagens retratadas pelos artistas estão futebol, crianças pulando corda, carrinhos de lata sendo puxados, brincadeiras de roda e até mesmo os pequenos soltando as famosas pipas pelas ruas da cidade.

Já em relação aos personagens de desenhos animados que marcaram história na televisão nas décadas de 80 e 90 aparecem Pica-Pau; Zé Colmeia; Papa-Léguas e Coiote; Fred Flintstone; Gargamel; Manda Chuva; Capitão Caverna; Dick Vigarista; Mickey Mouse e Minie Mouse entre outros personagens que fizeram parte da infância de muitos que já ultrapassaram os 30 anos de idade.

Passando pelo local, a jovem Luana Neves, moradora do bairro Cristo Redentor, não se conteve e foi ao encontro dos artistas parabenizar um por um pela inciativa. “Caramba, que trabalho maravilhoso. Isso é muito bom, mostrar para os mais jovens, como eu, esses personagens que marcaram época. Manter viva a arte de rua e também os personagens. É gratificante poder olhar tudo isso, ainda mais aqui nesse local”, falou Luana.

Ponte da Sete

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Helker Ernany acompanhado de Luana Neves, que passou pelo local e elogiou o trabalho feito pelo grupo de artistas

O cenário escolhido para receber a obra dos artistas plásticos, é conhecida na região como a “Ponte da Sete”, que também limita a parte baixa e a parte alta de Corumbá, já que a divisão, conforme algumas pessoas, é feita através do trilho, onde a ponte está localizada, a poucos metros do prédio que por anos abrigou a Estação Ferroviária da cidade. O local também foi conhecido por ser violento, devido a brigas de gangues.

Todo orgulhoso do próprio trabalho, o artista visual Helker Ernany, que também integra o grupo responsável em dar essa “nova cara”, para este ponto da cidade, mencionou estar satisfeito com o resultado.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Artistas retrataram personagens de desenhos animados que fizeram parte da infância de crianças nos anos 80 e 90

“Para mim é uma satisfação muito grande. Nasci e cresci nessa região. Não moro mais aqui, mas minha mãe sempre me dizia que um dia eu poderia voltar e contribuir com esse local e está acontecendo. Através do meu trabalho posso proporcionar essas lembranças a pessoas que atualmente estão ligadas mais com a tecnologia. Dou graças a Deus pelo dom de poder fazer o que faço, onde contribuo não só para uma cidade mais bonita, como também ajudo a resgatar parte da infância de muitos, como a minha”, expressou orgulhoso o artista.

PUBLICIDADE