PUBLICIDADE

Novo golpe: bandido pede dinheiro para “devolver” o corpo de parente

Campo Grande News em 01 de Outubro de 2019

Um novo golpe está preocupando a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, o do parente morto. Usando informações publicadas nas redes sociais, os bandidos entraram em contato com as vítimas, se passam por funcionários de funerária e as convencem de que alguém próximo morreu em outro estado. Para enviar o corpo de volta para casa, pedem cerca de R$ 2 mil.

Conforme a Polícia Civil, nos últimos meses o IMOL (Instituto Médico e Odontológico Legal) recebeu 40 ligações de pessoas em busca de informação sobre as supostas mortes de parentes.

O golpe, segundo o delegado Camilo Kettenhuber, da 2ª Delegacia de Campo Grande, começa com a ligação de supostos funcionários de uma funerária. Por telefone a vítima recebe a notícia de que um parente morreu em Mato Grosso do Sul e por isso precisa fazer um depósito bancário para custeio do translado do corpo.

Com informações das redes sociais da vítima, o golpista consegue convencer de que a morte realmente aconteceu e pede cerca de R$ 2 mil para enviar o corpo de volta para a família. “Por isso tenham cuidado com as redes sociais, não divulguem informações de caráter pessoal, como número de telefone, endereço ou conta de e-mail. Restrinja o acesso do seu perfil nas redes sociais aos amigos e familiares. Não deixe seu perfil aberto, pois os criminosos usam as informações compartilhadas para embasar suas chantagens”, reforçou o delegado.

Ainda conforme Kettenhuber, o golpe tem sido aplicado durante as manhãs e fins de semana, horário em que as “vítimas” estão dormindo, o que dificulta a confirmação do golpe. “Ao atender a ligação não se identifique e tão pouco nomine o interlocutor como se fosse um amigo ou familiar, pois é tudo que o golpista deseja. Desconfie de ligações com o código de área de outros estados.Não se deixe enganar pela chantagem emocional. Criminosos costumam imitar vozes de crianças e idosos como parte de sua encenação”.

Entre as dicas para fugir do crime, o delegado destaca ainda a necessidade de manter a calma e ganhar tempo para conseguir confirmar as informações repassadas pelos bandidos. As vítimas devem ainda falar com o IMOL do local em que o corpo supostamente está, não depositar qualquer valor antes de ter certeza da situação e procurar a polícia para registrar boletim de ocorrência imediatamente.

PUBLICIDADE