PUBLICIDADE

Chuva facilita combate às queimadas no Pantanal, mas alerta continua

Campo Grande News em 25 de Setembro de 2019

Divulgação/Corpo de Bombeiros

Tempo nublado em uma das bases do Corpo de Bombeiros nas fazendas

As chuvas desta quarta-feira (25) em Mato Grosso do Sul estão auxiliando o trabalho dos bombeiros e brigadistas em atuação nas queimadas, especialmente na região do Pantanal. Isto não quer dizer que os militares e voluntários tenham tido um dia de folga. Eles continuam em estado de alerta e avaliam o quanto esta mudança no tempo melhorou a situação do solo.

O tenente do Corpo de Bombeiros, Vinicius Frotté, que está atuando na base montada na fazenda Caiman, distante 31 quilômetros de Miranda, comentou, por meio de um vídeo, sobre o auxílio das chuvas na extinção dos focos de incêndio.

“Neste exato momento nós estamos verificando o quanto essa chuva está realmente nos auxiliando na extinção das chamas. Mesmo após essa chuva nós vamos permanecer no local em constante vigilância para evitar ou observar focos de reignição”. Os focos de reignição são os retornos da queimada em local onde já teve o trabalho de extinção.

“Essa chuva é muito bem vinda”, completou o tenente, lembrando que esta mudança no tempo era prevista e tinha até sido informada pelo sistema de comando de incidentes do Corpo de Bombeiros. “Agora vamos confirmar o real auxílio dessa chuva para as equipes dos bombeiros em solo”.

Os trabalhos na região pantaneira estão sendo feitos com auxílio de aeronaves desde sexta-feira (20). Só ontem, o helicóptero “Águia” da PMESP fez 62 lançamentos de água. Isto equivale a 25 mil litros lançados na área de combate ao incêndio.

A aeronave do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal, a Nimbus 01, realizou monitoramento, direcionamento e lançamento de 8,5 mil litros d'água, em 3 horas e 10 minutos de voo.

Nesta quarta-feira (25), as aeronaves devem permanecer em solo aguardando condição climática favorável ao pouso e decolagem.

Mais de 300 militares do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul estão atuando nas queimadas. A força tarefa é composta também de outros 34 bombeiros do Distrito Federal, 80 brigadistas do PrevFogo, mais 30 brigadistas particulares da empresa Suzano e 35 funcionários das fazendas onde foram montadas bases de atuação.

PUBLICIDADE