PUBLICIDADE

Contra tráfico de drogas, Gaeco e Bope apreenderam armas, dinheiro e cumpriram mandados de prisão

Da Redação em 17 de Setembro de 2019

Divulgação/Gaeco

Dinheiro (real e pesos bolivianos), munições, uma pistola, além de aparelhos celulares encontrados pelos policiais

Deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e o Bope (Batalhão de Operações Especiais da PM), na manhã desta terça-feira, 17 de setembro, a operação batizada de “Breaking Bad”, cumpriu 18 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 20 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Juízo da 7ª Vara Criminal da Comarca de Campo Grande, nas cidades de Ladário, Corumbá, Três Lagoas e Ribas de Rio Pardo e na Capital em Mato Grosso do Sul e Birigui e Campinas, em São Paulo.

As investigações tiveram início em abril deste ano e, segundo o Gaeco, a organização criminosa levava cocaína e pasta base de Corumbá para Campo Grande. As equipes tiveram como foco desbaratar a organização criminosa atuante no refino, distribuição e tráfico de drogas

Na residência de um dos integrantes, foi montado um laboratório onde a droga era misturada a outros componentes químicos para então ser comercializada no mercado varejista de Mato Grosso do Sul e São Paulo. Segundo a promotora de Justiça e Coordenadora do Gaeco, Cristiane Mourão, a organização contava basicamente com três núcleos.

Divulgação/Gaeco

Um dos presos na operação

“A liderança composta por José Roberto Cersósimo e sua esposa, fazia a aquisição da droga em Corumbá, o pagamento do seu transporte até Campo Grande, o preparo do entorpecente e a chegada ao seu destino final. O segundo núcleo era composto pelos transportadores do entorpecente, e o terceiro, se referia à guarda e preparação em laboratório. Apreendemos 80 kg de cocaína no decorrer de toda a investigação”, informou a promotora.

Ainda foram apreendidos na operação desta terça-feira, quantia em dinheiro (valor não informado), mas divididos em real e pesos bolivianos, uma pistola, munições, aparelhos celulares e rádios utilizados para transmissão. 

Campinas

Um dos alvos presos na cidade de Campinas é a filha do traficante Gerson Palermo, preso e condenado pela Justiça Federal de Mato Grosso do Sul a 59 anos de prisão. Na casa de Giuliana Palermo Carloni, os policiais ainda cumpriram mandado de busca e apreensão e recolheram computador, pen drives, documentações e anotações.

Giuliana é esposa de Caio Luiz Carloni, preso em Santos, litoral paulista, com meia tonelada de cocaína. Ligações interceptadas pela Polícia Federal registraram Gerson Palermo arquitetando uma fuga cinematográfica para o genro, em 2018.

O outro alvo da operação foi Zuemar da Silva Belgara, que também se apresentava como Zoenir da Silva Nunes, preso em Três Lagoas. Ele estava foragido há mais de dez anos e responde a ações penais na Justiça paulista por associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.

Em junho de 2019, o líder da organização foi preso em ação do Gaeco, também com o apoio do Bope. Na ocasião, foi possível localizar o laboratório mantido pela organização para o refino da cocaína e apreender mais de 40 kg da droga.

“Breaking Bad”

O nome da operação foi baseado em famosa série de ficção científica em que o personagem é químico e monta um laboratório de refino de drogas. Com informações da assessoria de comunicação do MPE e do site Campo Grande News. 

PUBLICIDADE