PUBLICIDADE

Ações de prevenção continuam com “olhar diferenciado” em Albuquerque, diz PM

Leonardo Cabral em 16 de Agosto de 2019

Divulgação

Homicídio aconteceu dentro da escola no Distrito de Albuquerque

A Polícia Militar irá dar continuidade a operações de prevenção, mas com um “olhar diferenciado”, no Distrito de Albuquerque, distante cerca de 50 quilômetros de Corumbá, onde o estudante Carlos Daniel Maldonado Pires, de 19 anos, foi morto dentro de sala de aula, no último dia 07 de agosto.

A vítima estava assistindo aula na escola municipal Luiz de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres, quando foi atingida por um tiro na cabeça. O autor do disparo, Odenir Gomes Mendes, de 19 anos, mais conhecido como “Neguinho”, foi identificado e preso horas depois do crime, na região portuária de Albuquerque.

Nesta semana, a segurança na escola foi tema de reunião na sede do 6º Batalhão de Polícia Militar, entre o comandante do 6ºBPM tenente-coronel Massilon de Oliveira e Silva Neto; o comandante do destacamento de Albuquerque, sargento Messias; a coordenadora  da Secretaria Estadual de Educação em Corumbá, Maria Eulina e Maria Araújo, diretora dos polos em educação do Município.

Silva Neto, reiterou que sempre há operações policiais com rondas e abordagens nas imediações da escola, no transporte escolar e nas áreas do Distrito de Albuquerque e informou que novas operações estão sendo planejadas com o intuito de capturar foragidos da justiça, realizar apreensões de drogas e armas naquela região.

Divulgação / PM

Reunião no início da semana garantiu um "olhar diferenciado" no que se refere a segurança no local

Já o comandante do destacamento do Distrito, sargento Messias, disse que o trabalho terá continuidade. “No primeiro momento, em vista da situação ocorrida, haverá 'olhar diferenciado', dentro das possibilidades, ou seja, as ações continuarão com uma maior incidência, dependendo do nosso efetivo”, explicou ao Diário Corumbaense. “O que registramos são situações de delinquência juvenil, de mal comportamento", completou.

A Secretaria Municipal de Educação, por meio de nota, informou que “a direção da escola mantém contatos permanentes com os órgãos de Segurança Pública para solicitar rondas no perímetro da escola e garantir a proteção dos alunos”. Ainda conforme a secretaria, a Prefeitura mantém a segurança no interior do colégio, com guarda municipal.

Mesmo assim, foi reforçado na reunião que professores e gestores devem comunicar à Polícia Militar caso tenham ciência de ilicitudes que estejam ocorrendo na escola e no Distrito, para que a corporação possa antecipar sua ação e dar uma resposta rápida ao fato.

O crime

O estudante Carlos Daniel Maldonado Pires, de 19 anos, foi morto com um tiro na cabeça dentro da escola municipal Luiz de Albuquerque de Melo Pereira e Cáceres. Ele estava em sala de aula quando foi alvejado por um único disparo.

O acusado pelo crime, Odenir Gomes Mendes, de 19 anos, foi preso na região portuária de Albuquerque, na tarde do dia seguinte do crime e disse que sentiu ciúmes da ex-namorada, que estaria se relacionando com Carlos. Odenir contou que na noite do crime foi até sua casa, pegou a espingarda, foi para a parte de trás da escola e subiu no muro.

Daquele ponto, ele atirou na cabeça da vítima, que assistia à aula. Depois, ele fugiu pelo mato e saiu em outra via de acesso. Foi quando encontrou um indivíduo, subiu na moto dele e ambos foram tomar cerveja. "Neguinho" permanece preso. 

PUBLICIDADE