Policiais da DAIJI prendem homem acusado de estuprar sobrinha por nove anos

Ricardo Albertoni em 05 de Junho de 2018

Divulgação/Polícia Civil

Segundo levantamento da Polícia Civil, os estupros eram constantes e aconteceram dos 5 anos aos 14 anos da adolescente

Equipe da DAIJI (Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso) cumpriu no fim da manhã desta terça-feira, 05 de junho, mandado de prisão contra homem de 38 anos, identificado pela iniciais L.N.S, acusado de estuprar durante nove anos a sobrinha, atualmente com 16 anos de idade.

Segundo o delegado titular da DAIJI, Rodrigo Blonkowski, informações obtidas com base nas declarações da vítima, dão conta de que os estupros eram constantes e aconteceram dos 5 anos aos 14 anos da vítima. Nesse período, quando o acusado suspeitava que a adolescente poderia contar os abusos a uma tia, ele a ameaçava e a agredia.

A investigação se iniciou no dia 18 de abril, com o registro do boletim de ocorrência relatando a suposta prática de estupro de vulnerável. A partir daí, o delegado iniciou procedimento e ouviu vítima e testemunhas. Foi instaurado Inquérito Policial e a prisão do acusado foi representada pela autoridade policial chancelada pelo Ministério Público e deferida pelo Poder Judiciário. 

Às 11h desta terça, os policiais cumpriram o mandado expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Corumbá. Após interrogado e submetido a exame, L.N.S foi encaminhado ao Estabelecimento Penal de Corumbá.

O delegado Titular da DAIJI, reforçou o comprometimento da instituição com identificação de casos de estupro de vulnerável e lembrou que a Polícia Civil está à disposição para receber denúncias. “Em 2018, a Polícia Civil já registrou dez casos relacionados à violência sexual contra criança ou adolescente, culminando com a prisão de nove indivíduos. A preocupação com os crescentes casos é grande, então, qualquer suspeita de abuso deve ser comunicada e averiguada criteriosamente. A pessoa pode procurar diretamente os investigadores da Polícia Civil na rua Major Gama, 290, centro (antigo Fórum) ou pelo fone 3234-9909”, disse o delegado Rodrigo Blonkowski.

 

PUBLICIDADE