PUBLICIDADE

Documentário sobre Revolta da Chibata é destaque em Corumbá

Marcelo Fernandes em 19 de Novembro de 2010

Anderson Gallo

João Candido é sobrinho-bisneto do "Almirante Negro"

O documentário “João Cândido – A Luta Pelos Direitos Humanos“, dirigido por Tânia Quaresma, vai ser exibido esta noite no Centro de Convenções, dentro da programação da Semana da Consciência Negra, promovida pela Prefeitura de Corumbá. O vídeo traz depoimentos de marinheiros, pesquisadores e familiares de João Cândido, líder da Revolta da Chibata. As imagens dos entrevistados dividem espaço com recortes de jornais, fotografias e documentos da época do levante, em 1910.

A exibição do vídeo documentário trouxe a Corumbá o engenheiro civil e de segurança do trabalho, João Candido de Oliveira Neto, que é sobrinho-bisneto do marinheiro chamado de “Almirante Negro”. Ele vai participar de uma roda de debates e palestras sobre a Revolta da Chibata. O documentário integra ainda a exposição itinerante da Fundação Banco do Brasil (FBB) sobre o tema. A mostra conta com dezesseis painéis ilustrados e com texto contando a vida e a obra do marinheiro João Cândido Felisberto.

Nascido no Rio Grande do Sul, em 1880, João Cândido é o principal líder da Revolta da Chibata, levante ocorrido em novembro de 1910, no Rio de Janeiro. Os marinheiros exigiam melhores soldos (salários), alimentação digna e o fim da prática da chibata nos navios brasileiros. O movimento eliminou da Marinha de Guerra a prática dos castigos corporais como punição aos marujos. De acordo com a FBB, a revolta abalou as estruturas do governo da época, que teve de tomar medidas rápidas para atender às solicitações dos rebeldes e trazer a paz de volta às águas da Guanabara. João Cândido e seus companheiros se tornaram exemplos de luta pelos direitos humanos.

Ao fim da revolta, Cândido foi acusado de incitar o movimento e ficou preso em uma solitária do Batalhão Naval na Ilha das Cobras, antes de ser expulso da Marinha. O "Almirante Negro", como ficou conhecido, morreu em 06 de dezembro de 1969, na cidade de São João do Meriti, aos 89 anos. Em 2008, o Governo Federal publicou a Lei 11.756 que concedeu anistia a João Cândido e seus companheiros de arma.

“O poder municipal estimular a população da cidade para que conheça um pouco mais o feito daqueles 2.600 homens que se sublevaram contra os castigos na Marinha e a forma como eram tratados. Isso é um exemplo dado pela Prefeitura. É muito importante essa iniciativa, estimulando a discussão sobre João Candido, Zumbi dos Palmares, sobre o próprio Dia da Consciência Negra. É uma excelente iniciativa para o povo conseguir entender a história sobre outro viés que não aquele oficial”, afirmou João Candido Neto a este Diário.

Programação

Na manhã deste sábado, atividades culturais e educativas afro-brasileiras serão realizadas também no Jardim da Independência. Paralelamente, a partir das 09h30, acontece o segundo Encontro Estadual de Intérpretes e Compositores de Samba-Enredo de Mato Grosso do Sul, na quadra da Caprichosos de Corumbá, localizada na esquina das ruas 21 de Setembro e Duque de Caxias. O compositor Samir Trindade, da escola de samba Beija-Flor de Nilópolis, e Nino Samba Show, intérprete da Imperatriz Leopoldinense, promovem workshop com os participantes. Às 17 horas, haverá apresentação dos intérpretes das escolas de samba de Corumbá, Aquidauana e Campo Grande.

PUBLICIDADE