PUBLICIDADE

Calorão volta com tudo e Corumbá registra 40,4ºC; maior temperatura do ano

Leonardo Cabral em 18 de Agosto de 2021

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Sensação térmica chegou aos 44°C e a umidade do ar foi de 11% nesta tarde

O calorão voltou com tudo em Corumbá. Após alguns dias com temperaturas amenas e termômetros  abaixo dos 20°C logo nas primeiras horas da manhã e também à noite, com vento oscilando, considerado um clima atípico para moradores pantaneiros, novamente o “companheiro” diário dos corumbaenses voltou a “dar as caras”.

Conforme o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), em postagem no Twitter, Corumbá registrou na tarde desta quarta-feira, 18 de agosto, a maior temperatura do ano, com os termômetros chegando a casa dos 40,4°C. Isso às 14h, horário de Mato Grosso do Sul.  

O que chama a atenção também é a umidade relativa do ar. No mesmo horário, Corumbá e Coxim, registraram índice mínimo de 11%, ou seja, clima de deserto.

Bem abaixo do recomendado, a população deve se atentar, já que o  ideal, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é que a umidade do ar varie entre 50% e 80%. É por isso que, quando os níveis estão entre 20% e 30%, as regiões entram em estado de atenção.

Em contato com o meteorologista da Uniderp, Natálio Abrão, ele informou ao Diário Corumbaense, que  a sensação térmica em Corumbá chegou aos 44°C nesta tarde. "Não há previsão de chuva até 25 de agosto para a região", informou. 

O calorão atinge todo o Mato Grosso do Sul. Nesta quarta, Coxim registrou 38,9ºC; Campo Grande, 36,5ºC; Dourados, 38,3ºC; Três Lagoas, 37,5ºC e Ponta Porã, 35ºC. 

Alerta e recomendações

Com a umidade muito baixa, alergias, sinusites, asma e outras doenças tendem a se agravar, além da pele, olhos, nariz e garganta secos e indisposição.

Entre as recomendações mais comuns para aliviar o desconforto e amenizar a secura estão: aumentar a ingestão de líquidos, procurar umedecer ambientes seja com aparelho umidificador ou com uma toalha molhada, evitar exposição direta ao sol, fazer refeições leves, usar soro fisiológico nas narinas e olhos, evitar queima de lixo e entulho, e não jogar bituca de cigarro em vegetação.

PUBLICIDADE