PUBLICIDADE

“Não falava coisa com coisa”, diz pai sobre mãe que confessou ter matado bebê

Campo Grande News em 23 de Junho de 2021

Foto enviada ao Campo Grande News

Bebê de 5 meses em foto recente, guardada pelo pai

Ainda sem entender o que aconteceu com a filha de 5 meses levada sem vida pela mãe até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon, em Campo Grande, o pai da criança, Fabio Costa Souza, conta que encontrou a ex-namorada chorando no posto de saúde assim que ficou sabendo do ocorrido. “Ela não falava coisa com coisa, não conseguia dizer uma frase que fazia sentido. Dizia que a neném estava com o chip na cabeça, que era o número da besta”.

Foi ela quem ligou para o pai da menina cerca de uma hora depois de perguntar, pelo WhatsApp, onde ele estava. “Já tinha falado com ela ontem, ela disse que estava tudo bem com a neném. Eu estava jogando bola. Quando eu cheguei em casa, ela me ligou avisando que a nossa filha tinha passado mal. Eu cheguei na UPA em 4 minutos. Lá, o policial me avisou que minha filha tinha morrido”.

Gabrielle Paes da Silva, 21 anos, foi presa em flagrante ainda na noite de terça-feira (22) e na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), confessou ter matado a garotinha afogada. Fabio diz que namorou com a mãe da filha por cerca de um ano, que os dois não estavam mais juntos há algum tempo, mas que conversavam com frequência por mensagens sobre a criança. “Sempre dizia que estava tudo bem. A neném nunca teve problema de saúde”.

A última vez que o pai viu a filha foi na semana passada, relata. Nos últimos dias, ele estranhou o comportamento da ex-namorada. “Acho que ela estava em depressão. Ficava trancada no quarto. Bati na casa dela, mas ela não atendeu”, conta sobre a tentativa de ver a filha depois da última visita, mas sem especificar o dia.

O pai já foi ouvido pela polícia e nesta manhã, foi ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) em busca de mais informações sobre o ocorrido e para a liberação do corpo. Mais cedo, havia comentado que ninguém da família tinha detalhes. “Ainda não sabemos nada a respeito do acontecido, sabemos que a minha ex-namorada matou a minha filha”, postou.

A reportagem apurou que a criança deu entrada no posto de saúde foi por volta das 22h20 de ontem. Equipe pegou a bebê e começaria manobras de reanimação, quando percebeu que a menininha já tinha o corpinho enrijecido, sinal de que havia morrido há algumas horas pelo menos. Os profissionais de saúde perceberam que ela tinha lesões na vagina e no ânus. A Guarda Municipal e a Polícia Militar foram chamadas. 

O caso foi registrado na Deam, mas será encaminhado para a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), que investigará a suspeita de estupro. Sobre isso, também pela rede social, o pai disse não ter informações. “Não há indícios que provem suposto abuso”, escreveu, completando: “Nossa família está sofrendo muito”.

PUBLICIDADE