PUBLICIDADE

Após negativa da Anvisa, governador diz que MS não vai desistir da compra de vacina contra a covid-19

Portal de Notícias do Governo de MS em 27 de Abril de 2021

Chico Ribeiro/Governo do Estado

Após negativa da Anvisa, governador acredita que decisão pode ser reformada

Mato Grosso do Sul vai continuar na busca pela compra de vacinas contra a Covid-19, seja via Consórcios Brasil Central ou Fórum dos Governadores. "Ainda acredito numa decisão favorável para a importação da Sputnik V", disse Reinaldo Azambuja após negativa da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a liberação do medicamento russo. "Não vamos desistir da compra da vacina que garante a imunização da população sul-mato-grossense",completou o governador nesta terça-feira (27). 

Na segunda-feira (26), a agência recusou a demanda impetrada pelo estado do Maranhão para aquisição da Sputnik V. Mesmo com o aval do Supremo Tribunal Federal (STF), a Anvisa não autorizou a importação do medicamento por falta de documentação por parte do laboratório responsável e por entender que o medicamento apresenta riscos de uso. Segundo a agência, a vacina usa um tipo de vírus que naturalmente se replica. 

Embora a possibilidade de compra tenha sido rejeitada pela Anvisa, o governador Reinaldo Azambuja defende a vinda do imunizante. "Desta forma os estados vão conseguir encurtar o caminho da vacina para a população. Temos dinheiro em caixa que garante a compra de dois milhões de doses da vacina para a população sul-mato-grossense", completou.

Com R$ 2 milhões de recurso próprio do Estado, o governador aposta numa reforma da decisão e destaca que somente com a imunização em massa as pessoas poderão tocar suas vidas e, consequentemente, possibilitar retomada da economia com mais rapidez. "Com a vacina no braço das pessoas, a economia volta a crescer, é um efeito cascata e não vamos desistir de fazer prevalecer o direito do sul-mato-grossense de ir e vir com segurança", finalizou.

Reprodução

Dados

Na live do Governo do Estado da última segunda-feira (26), o secretário de Saúde Geraldo Resende apontou dados que demonstram que ações de imunização em conjunto com decretos publicados pelo Governo de MS repercutiram em bons resultados, diminuindo a curva de contágio da Covid-19 em Mato Grosso do Sul. Mesmo estando longe do ideal, ações deste tipo são fundamentais para conter a pandemia.  

Mato Grosso do Sul participa do Consórcio Brasil Central, junto com Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Tocantins e Rondônia, que assinou um acordo com o RDIF (Fundo Russo de Investimento Direto). O secretário também confirmou que MS faz parte do Consórcio Nordeste.

"Vamos comprar vacinas de quem mais rápido apresentar porque nossa intenção é dar solução definitiva no combate ao coronavírus em MS e garantir os direitos da nossa população e da retomada da economia", disse.

Reprodução

PUBLICIDADE