PUBLICIDADE

Casos de dengue passam de 2 mil em Corumbá e Saúde segue com ações de prevenção

Leonardo Cabral em 11 de Dezembro de 2020

Anderson Gallo/ Arquivo Diário Corumbaense

Os moradores devem ficar atentos com recipientes que podem acumular água e a consequente proliferação do mosquito

O número de casos de dengue ultrapassou os 2 mil em Corumbá. Conforme o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, divulgado na quarta-feira (09) - e que é emitido semanalmente -, de 4.088 notificações suspeitas, 2.044 são casos positivos da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. O número é nove vezes maior que os casos confirmados em 2019, que somaram 225.

Além da luta travada contra a covid-19, a população tem que ficar alerta, ainda mais no período de chuvas que se aproxima, o que facilita a proliferação do mosquito, por conta dos criadouros que ficam em recipientes com água acumulada.

Para evitar uma epidemia da doença, ações de prevenção estão sendo realizadas nos bairros da cidade. “Temos intensificado as ações de controle vetorial com as equipes do Centro de Controle Vetorial (CCV). Também recebemos recentemente alguns equipamentos da Secretaria Estadual de Saúde, para fortalecer nossas ações nos quatro cantos da cidade, como as de controle químico”, disse ao Diário Corumbaense Viviane Ametlla, gerente de Vigilância em Saúde. 

Ela frisou as medidas de prevenção que os moradores precisam tomar. “Choveu, vá até o quintal, veja a caixa de água, a calha ou qualquer recipiente que possa servir de criadouro para o mosquito. São medidas simples que fazem muita diferença e custam vidas”, completou. 

Transmissão ocorre pela picada do mosquito

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão ocorre através da picada do mosquito Aedes aegypti. Por isso, as autoridades em saúde reforçam a importância de a população tomar medidas que evitem a proliferação do mosquito transmissor.

Em MS, são 42 óbitos por dengue registrados em 2020, 27 pacientes apresentavam comorbidades. Em Campo Grande, são sete óbitos e em Corumbá, na segunda posição das cidades com mais mortes causadas pela doença, são quatro óbitos. Em 2019, houve uma morte no município pantaneiro. 

A Secretaria de Saúde de Corumbá disponibiliza telefones para moradores também denunciarem locais, como terrenos baldios e imóveis abandonados, com possíveis focos. O anonimato é garantido. Os números são: 0800 647 2109 / 3233-2783.

PUBLICIDADE