PUBLICIDADE

Polícia Militar Ambiental realiza operação "Big Fish II" nos rios de MS

Rosana Nunes em 04 de Setembro de 2020

Divulgação/PMA

Uso de petrechos proibidos, como redes, são uma preocupação da PMA

Com foco na prevenção e repressão à pesca predatória, a Polícia Militar Ambiental (PMA) iniciou nesta sexta-feira, 04 de setembro, a operação "Big Fish II". O patrulhamento, que se estenderá até a manhã da terça-feira, dia 08, faz a fiscalização exclusiva das atividades que trabalham com recursos pesqueiros. A PMA emprega efetivo de 130 policiais na operação.

A "Big Fish II" teve sua primeira fase, durante a operação Corpus Christi, em junho, quando foram autuadas 24 pessoas por pesca ilegal. Na operação passada também foram fiscalizadas mais de 20 toneladas de peixes em peixarias em diversos municípios. A PMA constatou que as atividades de pesca estão praticamente normalizadas, apesar da pandemia. 

Um das preocupações da Polícia Ambiental é com o uso de petrechos ilegais nos rios, como as redes de pesca, espinhéis, anzóis de galho e uso de tarrafas, pelo alto poder de captura e depredação de cardumes. A PMA faz a retirada preventiva desse material ilegal para evitar a mortandade dos peixes.

Prevenção ao tráfico de papagaios

No mesmo período, a PMA realiza a Operação "Bocaiúva" continua durante o feriado prolongado, no intuito principal de evitar a retirada dos filhotes de papagaios dos ninhos. As equipes continuam na operação, especialmente das Subunidades da região do tráfico (divisa dos Estados de São Paulo e Paraná), principalmente distribuídas em fazendas e bloqueios. Outros tipos de crimes como tráfico de drogas, contrabando, descaminho, porte ilegal de armas, por exemplo, serão coibidos nas barreiras e fiscalizações da PMA, como tem sido realizado nos trabalhos rotineiros.

PUBLICIDADE