PUBLICIDADE

Após medidas do governo da Bolívia, aulas são suspensas e Migração tem grande movimento na fronteira

Leonardo Cabral em 13 de Março de 2020

Diário Corumbaense

Escola UE La Frontera, em Arroyo Concepcíon, suspendeu as aulas

Os reflexos das medidas impostas pelo governo da Bolívia para combater e prevenir casos de coronavírus, já podem ser sentidos na fronteira das cidades de Puerto Quijarro, Puerto Suárez e Arroyo Concepcíon, com Corumbá. Escolas e universidades amanheceram de portas fechadas.

Essas medidas foram tomadas após o país confirmar 3 casos do Covid-19, dois em Santa Cruz de La Sierra (distante 650 km da fronteira) e um na cidade de Oruro. Todos os pacientes diagnosticados entraram em território boliviano após visitarem países europeus, Itália e Espanha, conforme relatório do Ministério da Saúde da Bolívia.

A escola UE La Frontera, em Arroyo Concepcíon, que fica localizada a alguns metros da ponte da Amizade, dispensou os alunos, seguindo determinação do governo, que suspendeu as aulas até o dia 31 de março.

Em uma Universidade Privada, em Puerto Quijarro, acontece a mesma situação. “Encaro a situação como uma forma de prevenção, já que estamos sujeitos ao vírus. As aulas foram suspensas desde quinta-feira, mas recebemos a informação que  as nossas avaliações que já estavam marcadas, serão feitas por meio de uma plataforma”, contou ao Diário Corumbaense a acadêmica do quinto semestre de Medicina, Fernanda Santos.

Diário Corumbaense

Fila na Migração estava dobrando a quadra nesta manhã

Também por conta da situação, o setor de Migração do lado boliviano amanheceu lotado.Nesta manhã, a fila quilométrica dava volta na quadra. Grande parte dos que estavam no local, é brasileira, estudantes que resolveram retornar ao Brasil, por causa da suspensão das aulas.

No lado brasileiro da fronteira, no Posto Esdras, da Receita Federal, funcionários receberam álcool em gel, luvas e máscaras  para serem utilizados durante a fiscalização.

As sete medidas do governo boliviano são:

1-   Suspensão das aulas em todo o país, em todos os níveis, até 31 de março;

2-   Suspensão de voos de ida e volta para a Europa, a partir de sábado;

3-   Controle de pessoas que entram pelas fronteiras;

4-   Proibição de eventos públicos com mais de mil pessoas;

5-   Criação do Gabinete para a atenção do coronavírus;

6-   Fornecimento de infraestrutura em Santa Cruz e progressivamente nas capitais, além de El Alto, para atendimento exclusivo de casos.

7-   Que as ações sejam intensificadas para impedir que suprimentos médicos e de limpeza aumentem seus preços. 

Corumbá

O secretário de Saúde de Corumbá, Rogério Leite, em entrevista ao Diário Corumbaense, já havia dito que não há nenhuma determinação de fechamento da fronteira entre os dois países. Ele também afirmou que em Corumbá (corredor de passagem para turistas e visitantes), mesmo com os casos no Brasil e também na Bolívia, ainda não registrou nenhum caso suspeito. 

A localidade com maior número de casos confirmados da Covid-19 é a região Sudeste, em São Paulo e Rio de Janeiro. O Brasil tem mais de 100 casos da doença confirmados. 

PUBLICIDADE