PUBLICIDADE

Reunião discute ações de Vigilância em Saúde na fronteira; Bolívia tem três casos suspeitos de coronavírus

Leonardo Cabral em 04 de Fevereiro de 2020

Divulgação/PMC

Reunião realizada nesta terça-feira

Após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar emergência internacional devido à epidemia do coronavírus em Wuhan, na China, alguns países e cidades estão se mobilizando para atuar caso a doença seja registrada.

Em Corumbá, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde convocou uma reunião com diversos órgão públicos responsáveis por ações na faixa de fronteira, principalmente nos pontos de entrada do país, para discutir ações e protocolos de atendimentos, intensificando a Vigilância em Saúde na região.

Sobre o assunto, o secretário da pasta, Rogério Leite, destacou a importância de todos estarem preparados. “Estamos fazendo essa reunião com atores atuantes em portos, aeroportos e na fronteira seca para alinharmos as ações e o fluxo de atendimento ao estrangeiro que tenha procedência de países com casos comprovados do coronavírus e que apresentem sintomas da doença”, frisou.

As ações de sensibilização dos funcionários dos postos de atendimentos aos estrangeiros, bem como as os procedimentos de limpeza e desinfecção destes locais, utilização de equipamentos de proteção individual (EPI), estão sendo definidas conforme os protocolos do Ministério da Saúde e da Anvisa- Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Participaram da reunião representantes da Polícia Federal, Marinha, Agesa, Anvisa, Agência Municipal Portuária – AGEMP e da Vigilância em Saúde.

Caso na Bolívia

Em Mato Grosso do Sul não casos suspeitos de coronavírus, porém, Corumbá faz fronteira seca com a Bolívia, onde foram registrados nesta terça-feira, 04 de fevereiro, três casos suspeitos em turistas.

A informação de que os turistas foram internados às pressas, na região de Uyuni, foi dada pelo governador de Potosí, Omar Véliz, que informou que três cidadãos estrangeiros que visitavam Uyuni foram isolados porque apresentaram os sintomas da doença. 

A autoridade explicou que os visitantes estavam em um hotel de sal em Colchani, nas margens dos salares de Uyuni, mas já foram transferidos para o hospital Eduardo Pérez, onde foram isolados e recebem tratamento.

“Eles têm gripe, resfriado, alta temperatura, são sintomas básicos de uma pessoa com coronavírus. No entanto, esperamos que as análises sejam negativas”, explicou Véliz. Ele não informou a nacionalidade dos turistas, mas há indícios de que sejam chineses. 

Com informações da assessoria de imprensa da PMC e do jornal El Deber.

PUBLICIDADE