PUBLICIDADE

Ibama estima 1 milhão de hectares em cinzas; Corumbá lidera ranking de queimadas

Da Redação em 11 de Setembro de 2019

Divulgação

Fogo na margem da MS-178 reduziu a visibilidade de quem trafegava entre Bonito e Bodoquena

Relatório da Sala de Situação Integrada, divulgado pela Coordenadoria de Defesa Civil de Mato Grosso do Sul (Cedec/MS), aponta que mais de 1 milhão de hectares de vegetação foi destruída pelas queimadas no Estado, no período de 1º de agosto a nove de setembro deste ano. Os focos de calor continuam intensos, devido a prolongada estiagem, com maior concentração no Pantanal e na Serra da Bodoquena.

Sem previsão de chuvas para os próximos 15 dias, a Cedec/MS lançou um alerta de onda de calor para todo o Estado e a recomendação de situação de emergência em algumas regiões, cuja medida, decretada pelo município, poderá garantir ajuda financeira do governo federal para combate aos incêndios florestais. O coordenador da Cedec, tenente-coronel Fábio Catarinelli, informou que uma situação de emergência pode ter o apoio de aeronaves.

O volume de área acumulada queimada pelo fogo nos últimos 40 dias foi divulgado pelo Ibama (Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), que coordena o Programa PrevFogo, por meio de um gráfico de estimativa, totalizando 1.027.041,20 hectares. No período, foram registrados 3.304 focos, sendo a maioria no Pantanal, entre os municípios de Corumbá, Aquidauana e Porto Murtinho. Nas últimas 48 horas, foram 397 focos nesta região.

Corumbá lidera

Com mais 253 focos de incêndios florestais registrados na terça-feira (10), Corumbá chegou a 3.137 pontos este ano e ultrapassou Altamira (PA), com 3.081. Os números são do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O município pantaneiro agora é líder em queimadas no Brasil. O governo do Estado deve decretar situação de emergência e solicitar apoio do Exército para combater o fogo.

O Governo Estadual segue o caminho aberto por Mato Grosso, que decretou estado de emergência em decorrência das queimadas na terça-feira. A situação na federação vizinha tem duração de 60 dias e poderá ser prorrogada. O ato permite que o governo estadual faça contratações sem passar pelo processo burocrático da licitação.

Mato Grosso do Sul tem três municípios no ranking de queimadas em setembro. Além de Corumbá, líder com 633 pontos, Porto Murtinho soma 375 e está na terceira posição. Aquidauana, com 232 focos de incêndio, é a nona do Brasil neste mês. Com informações dos sites Portal do Governo de MS e Campo Grande News

PUBLICIDADE