PUBLICIDADE

Após parto, mulher de 36 anos morre pelo vírus da gripe em Corumbá

Leonardo Cabral e Rosana Nunes em 03 de Junho de 2019

Mulher de 36 anos, do grupo das puérperas, identificada como Mari Soares, morreu em consequência da gripe H1N1 em Corumbá. O Diário Corumbaense apurou que ela estava internada desde o dia 25 de maio e morreu na tarde do dia 01 de junho, no Centro de Tratamento Intensivo da Santa Casa.


Ainda de acordo com as informações, a paciente teve parto normal complicado, com pré-eclâmpsia (pressão alta) e estava com a imunidade muito baixa devido a outras doenças. 


Foi a segunda morte causada pela gripe em Corumbá este ano. Um trabalhador rural, de 43 anos, morreu no dia 26 de janeiro, com H3N2, tipo de influenza sazonal. Ele apresentava os sintomas da gripe desde o dia 08 de janeiro, mas foi internado na Santa Casa de Corumbá duas semanas depois, no dia 23 daquele mês. Além dele, outros três trabalhadores foram internados, pois apresentavam suspeitas de influenza, hantavirose, leptospirose ou febre maculosa.


Apesar de ser contabilizado como a primeira morte por gripe na cidade pelo Boletim Epidemiológico Estadual, o secretário municipal de Saúde de Corumbá, Rogério Leite, explicou na época que o trabalhador foi diagnosticado com leptospirose. “Os trabalhadores rurais que chegaram daquela fazenda tinham baixa imunidade, a água que eles consumiam para fazer a hidratação estava contaminada. A vítima foi diagnosticada com leptospirose que baixa a imunidade de quem está doente e qualquer reação gripal pode complicar. O que deu foi a H3N2, mas ele foi compilado pela leptospirose”, detalhou Rogério Leite.


O Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado, confirma 13 óbitos por gripe este ano, cinco apenas em Três Lagoas. Corumbá e Rio verde registraram dois óbitos; Aquidauana, Inocência, Campo Grande e Porto Murtinho, um caso cada.


Sintomas e prevenção


A gripe, ou influenza sazonal, inicia-se em geral com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios como a tosse e outros, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre.

Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

Para evitar a gripe ou a sua transmissão também é necessário fazer uso de medidas preventivas como: higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool gel, principalmente depois de tossir ou espirrar; depois de usar o banheiro, antes de comer, antes e depois de tocar os olhos, a boca e o nariz; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies potencialmente contaminadas (corrimãos, bancos, maçanetas etc.).

Manter hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, ingestão de líquidos e atividade física. Pessoas com síndrome gripal devem evitar contato direto com outras pessoas, abstendo-se de suas atividades de trabalho, estudo, sociais ou aglomerações e ambientes coletivos. (matéria editada para atualização de informação)

PUBLICIDADE