PUBLICIDADE

Prefeito acompanha ação "Cidade Limpa" para conter avanço do Aedes aegypti

Da Redação em 21 de Março de 2019

Renê Marcio Carneiro/PMC

Prefeito e secretário estiveram nesta manhã no Vitória Régia

O prefeito Marcelo Iunes acompanhou na manhã desta quinta-feira, 21 de março, os serviços da ação "Cidade Limpa" no conjunto Vitória Régia, bairro Cristo Redentor. A iniciativa promove um mutirão de limpeza por toda a cidade.  “Já estivemos no Previsul; Industrial e agora estamos no Maria Leite e aqui no Cristo Redentor, na região do Vitória Régia”, disse o chefe do Executivo corumbaense. 

“Estamos trabalhando para evitar a proliferação do mosquito da dengue (Aedes aegypti). Vamos fazer a limpeza das vias, das ruas onde há matagal. Pedimos o apoio da população para que nos ajude nessa ação”, afirmou Iunes. O prefeito destacou que as frentes de serviço seguem os pontos indicados pelo Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) como maiores índices de infestação do vetor. O secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Ricardo Ametlla, acompanhou o prefeito. 

Além desse mutirão de limpeza da cidade, para conter o avanço da proliferação do Aedes aegypti, o prefeito Marcelo Iunes determinou a instituição de uma Sala de Situação para subsidiar a tomada de decisão em relação a questões ligadas ao combate ao mosquito transmissor. 

Renê Marcio Carneiro/PMC

Iniciativa promove mutirão de limpeza em toda a cidade

Em Corumbá, somente este ano foram notificados 67 possíveis diagnósticos de dengue. Sendo que deste total, seis eram de pessoas provenientes de outros municípios. Os bairros com maior índice de infestação do Aedes Aegypti são: Centro América, Cravo Vermelho, Guató, Nova Corumbá, Cristo Redentor e Guarani.

Denúncias

Um canal de denúncias foi criado e está à disposição da população. Nele, o morador pode alertar através do 0800 647 2255 / 0800 647 2109 / 3233-2783, sobre possíveis locais, como piscinas verdes e sem manutenção, terrenos baldios com latas garrafas, casas fechadas, caixas de água ou tambores abertos, que sirvam como criadouros do Aedes aegypti. O anonimato é garantido.

Medidas como armazenar lixo em sacos plásticos fechados; manter a caixa d’água completamente vedada; não deixar água acumulada em calhas e coletores de águas pluviais; recolher recipientes que possam ser reservatórios de água parada, como garrafas, galões, baldes e pneus, conservando-os guardados e ou tampados; encher com areia os pratinhos dos vasos de plantas e tratar água de piscinas e espelhos d’água com cloro, são fundamentais e contribuem para evitar a disseminação do vírus transmissor da doença. Com informações da assessoria de comunicação da PMC

PUBLICIDADE