Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
18 de Setembro de 2018
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Após liminar judicial, professores e administrativos da Reme retornam ao trabalho nesta terça-feira

Rosana Nunes em 25 de Junho de 2018

Decisão do juiz André Luiz Monteiro, em substituição, da Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos, reconheceu como “abusiva e ilegal” a greve deflagrada pelo Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Corumbá (Simted) nas escolas da Rede Municipal de Ensino (Reme) de Corumbá.

O magistrado determinou “a suspensão do movimento grevista dos servidores da educação do Município de Corumbá, sob pena de multa diária fixada no valor de R$ 10 mil” em caso de descumprimento. Assinada em 22 de junho, a decisão judicial ainda permite a possibilidade de “serem procedidos os descontos dos dias não trabalhados, nas folhas de pagamento dos servidores” e determina o “imediato cumprimento” da ordem.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Em assembleia, professores e administrativos ratificaram rejeição à proposta da Prefeitura, mas voltam para as salas de aula nesta terça

Ao Diário Corumbaense, a presidente do Simted, professora Raquel Guimarães do Prado, disse que "decisão judicial se cumpre", e em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (25), os grevistas decidiram retornar às aulas a partir desta terça-feira (26).

Na última sexta-feira (22), quando a categoria foi até a sede da Prefeitura, uma comissão do Simted foi recebida pelo prefeito Marcelo Iunes. Ele manteve a proposta de reajuste salarial de 2,95% a partir de setembro e a possibilidade de reajustar o auxílio-alimentação de R$ 180 para R$ 250, isso se a arrecadação do Município permitir.

Raquel do Prado disse que os professores e administrativos que aderiram à paralisação rejeitaram a proposta, mas voltam às escolas por causa da liminar judicial. Ainda de acordo com a dirigente sindical, o Simted vai recorrer da decisão.

Os servidores reivindicam que o abono de 7,64%, concedido em 2017, seja incorporado ao salário e, o pagamento do piso nacional de 6,81%. 

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE