Olimpíada Brasileira de Astronomia premia amanhã alunos da REME

Assessoria de Comunicação da PMC em 30 de Novembro de 2017

Seis alunos das escolas municipais Eutrópia Gomes Pedroso e Cyríaco Félix de Toledo receberão na sexta-feira, 1° de dezembro, medalhas de premiação referentes à 20ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Todos eles participaram da Olimpíada na modalidade Nível 3, destinada aos estudantes regularmente matriculados do 6º ao 9º ano.  A cerimônia está marcada para as 14 horas no auditório da Prefeitura de Corumbá.  

Pela escola Eutrópia Gomes Pedroso – que fica no Assentamento Tamarineiro – quatro alunos do 8º ano serão premiados. Três deles receberão medalhas de bronze: Weslen da Rocha Silva, Tainara Pessoa da Silva e Samara Divino Santana. Um estudante receberá medalha de prata: Valdeir Freitas de Melo. A Escola Cyríaco Félix de Toledo – localizada na área central da cidade – terá dois alunos premiados: Amanda Alves da Silva Santos (8º ano), com medalha de bronze, e Álvaro Vargas Alvarez (7º ano), com medalha de ouro.

Também serão premiados dois alunos do Campus Corumbá do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS). Eles cursam o 3º ano de nível técnico e participaram da OBA na modalidade Nível 4 destinada aos matriculados em qualquer série/ano do Ensino Médio. São eles: Ronaldo Roca Flores, medalha de prata, e Lucas Willyan Conceição de Moraes, medalha de bronze. Realizada em maio deste ano, a 20ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica contou com a participação de 661.358 alunos distribuídos em 7.294 escolas de todo o país.

A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB) entre alunos de todos os anos do ensino fundamental e médio em todo território nacional. Tem como objetivos fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia, Astronáutica e ciências afins; promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa, mobilizando num mutirão nacional, além dos próprios alunos, seus professores, coordenadores pedagógicos, diretores, pais e escolas, planetários, observatórios municipais e particulares, espaços, centros e museus de ciência, associações e clubes de Astronomia, astrônomos profissionais e amadores, e instituições voltadas às atividades aeroespaciais.

PUBLICIDADE