PUBLICIDADE

Menino que teria sido torturado e violentado pelos próprios pais, morre em Cuiabá

Fonte: Edição de Notícias/Midiamax em 13 de Janeiro de 2013

Morreu na sexta-feira (11) no Hospital Jardim Cuiabá, o garotinho que hoje estaria completando três anos de idade, vítima de uma brutalidade sem limites de violência. O menino foi espancado, torturado e violentado sexualmente em Tangará da Serra (Médio Norte, a 280 quilômetros de Cuiabá/Mato Grosso).

Os pais do menino estão presos como principais acusados pela violência. O menino, segundo a Polícia, foi vítima de tortura e abusos sexuais, supostamente praticados pelos pais F.B.P., de 21 anos, e pela mãe, L.S.R., de 27 anos. Depois dos abusados sexuais e da violência sem limite que o levou a morte, o menino veio para Cuiabá no primeiro dia deste ano.

Passou alguns dias no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC) e foi transferido para o Hospital Jardim Cuiabá, em estado grave. Dois dias depois ele teve a morte cerebral anunciada e passou a viver através de aparelhos.

O menino já chegou à Capital muito grave. Depois de ser atendido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na noite de domingo (30/12) do ano passado, quando deixou a casa da família no Jardim Califórnia já entubado.

Em uma suposta falsa notícia crime, os pais do menino alegaram que ele havia sofrido convulsão depois de uma queda no banheiro. O conselho tutelar de Tangará da Serra foi acionado pela médica que assumiu o plantão da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital infantil.

O crime ainda está sendo investigado, mas os pais do menino estão presos. Com a morte do menino, os pais estão sendo acusados de vários crimes: falsa notícia crime; tortura, violência sexual contra vulnerável, com agravante dos pais que teriam que dar segurança serem os acusados, e agora homicídio triplamente qualificado.

Caso sejam condenados, os pais podem pegar de 12 a 30 anos de prisão em regime fechado apenas pelo homicídio, além de outras penas que podem chegar a mais de 50 anos de reclusão.

 

PUBLICIDADE