PUBLICIDADE

Lojas abrem vagas temporárias e gerentes dão dicas para candidatos que buscam efetivação

Leonardo Cabral em 18 de Novembro de 2021

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Comércio abre vagas temporárias todo final de ano e trabalhadores buscam efetivação

Com a chegada das festividades do Fim de Ano – Natal e Ano Novo – começa o período que pode ser considerado como sinônimo de renda extra. É nessa época do ano, que muitos daqueles que estão desempregados conseguem uma vaga no mercado de trabalho, ainda que provisória.

São as vagas temporárias ofertadas pelos estabelecimentos comerciais, principalmente nos segmentos de calçados, roupas e de alimentos. Não há estimativa do número de vagas disponibilizadas no comércio de Corumbá, porém, boa parte das lojas, da região central, abre a oportunidade do contrato temporário para suprir a demanda nos dois últimos meses do ano, podendo a vaga, se tornar fixa.

Um sonho de muitos colaboradores que veem na oportunidade a tão esperada vaga de emprego. Wellingthon Carvalho, gerente de um estabelecimento localizado na esquina da rua Frei Mariano com a Delamare, disse ao Diário Corumbaense que todo final de ano a venda tem tendência de dobrar, porque nos momentos festivos, as empresas adotam contratação temporárias, justamente para ajudar no alto fluxo do final de ano.

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

O gerente Wellingthon Carvalho dá dicas para efetivação

“Aqui mesmo, conseguimos acréscimo de 13 vagas para a operação nesse período. Esse momento é muito especial, pois além de darmos a oportunidade às pessoas de ganhar um extra no final de ano, tem a chance de os candidatos se destacarem de alguma maneira, tendo a oportunidade de efetivá-los e ficarem com a gente para seguir carreira na empresa”, disse Wellingthon lembrando que de 2020 para este ano, “três funcionários, das 20 vagas temporárias abertas, foram efetivados e estão com a gente até hoje”.

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Paulo disputou uma das 20 vagas em 2019 e foi efetivado

ma dessas vagas foi a do jovem, Paulo Orlando, de 23 anos. “Tendo o objetivo de querer agregar ao time, a empresa sempre está voltada a dar oportunidade. A minha efetivação deu uma alavancada em minha vida, algo que mudou bastante. Com o emprego consigo ajudar a minha família”, contou.

O colega de trabalho, Lucas Rodrigues de Souza, também conquistou a vaga fixa. Ele relembrou ao Diário quando recebeu a notícia de sua efetivação na vaga.

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Lucas Rodrigues também é um dos “sortudos” que conquistou vaga fixa

“Foi um momento de muita alegria. Algo incrível e indescritível. Estava concorrendo com mais 19 pessoas e, de repente, fui contratado mesmo. Por isso, quem for passar pelo mesmo caminho e almeja se fixar, peço que procure sempre aprender, resolver problemas e se destacar. Se desenvolver. Essa vaga fixa veio em boa hora ainda mais no momento da pandemia. Firmei e estou aqui dando certo”, pontuou Lucas.

Em uma loja de calçados, Edelaine dos Santos Sorrilha, viu este momento chegar em 2019, quando foi chamada para a vaga temporária e quase um ano depois, em 2020, foi contratada definitivamente.

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Edelaine foi contratada quase um ano depois da vaga temporária

“Com tempos difíceis que estamos vivendo consegui conquistar a vaga, logo a gerente ligou. Ela falou que abriria uma vaga, fiquei em dezembro de 2019 e em outubro de 2020, abriu a vaga e vim trabalhar efetiva já. Agora com essas vagas abertas, espero que os concorrentes possam ser proativos e responsáveis, se dedicar ao máximo e com muito foco”, disse Edelaine.

De “olho”

O gerente Wellingthon Carvalho, dá algumas dicas para que as pessoas consigam ser efetivadas após a vaga temporária. “Primeiro ponto, gostar de varejo, ela precisa ter facilidade de comunicação, diálogo com o cliente, gostar de moda, analisamos todos os pontos para ir do lado positivo da contratação. Ele tem sua performance avaliada e através da produtividade, conseguimos ver quem tem condição ou não para ser contratado”, explicou.

Ele frisa que mesmo com a vaga não saindo, não pode desanimar. “Toda empresa tem quadro padrão, existe a rotatividade, com o tempo, a pessoa que trabalhou mesmo que não tenha oportunidade ela fica visada, quando surgir uma vaga, a gente volta a chamar, justamente por se mostrar capacitada”, falou.

O mesmo disse Franciely Silva Medina, que é gerente da loja que contratou Edelaine. Segundo ela, após fazer um bom trabalho, a pessoa fica visada e qualquer vaga que possa surgir, ela será chamada. “Por isso, aproveitar a oportunidade ao máximo é essencial. Só neste ano, serão duas vagas agora para novembro e mais vagas para dezembro e, dessas, poderão sair novos funcionários, por isso é fundamental que possam aproveitar bem a oportunidade”, destacou Franciely.

PUBLICIDADE