PUBLICIDADE

Assassino de motorista de aplicativo é preso no escritório do advogado

Campo Grande News em 16 de Maio de 2019

Reprodução/ Kísie Ainoã

Igor havia sido condenado por roubo à mão armada e estava foragido da Justiça

Foi preso na manhã desta quinta-feira (16), Igor César de Lima de Oliveira, 22 anos, apontado pela polícia como o assassino de Rafael Baron, 24 anos. O motorista de aplicativo foi morto a tiros na noite de segunda-feira (13) no Jardim Campo Nobre, em Campo Grande.

Conforme informações do delegado Ricardo Meirelles, da 5ª Delegacia de Polícia Civil, após a identificação do suspeito, a polícia entrou em contato com a família do rapaz. Eles fizeram um acordo e Igor acabou preso no escritório do advogado de defesa, na região central de Campo Grande.

Segundo o delegado, em um primeiro momento, Igor revelou que ficou descontrolado durante uma crise de ciúmes. Ele teria julgado inapropriado a postura e comportamento da vítima durante conversa com a sua esposa.

O caso

Segundo informações da Polícia Civil, Igor e a esposa, grávida de quatro semanas, solicitaram a corrida com o motorista da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon até o residencial onde ocorreu o crime.

Reprodução/Facebook

Rafael foi morto com dois tiros na noite de segunda-feira

Durante o trajeto, Rafael começou a conversar com o casal e puxou assunto com a moça. A primeira pergunta foi sobre a tipoia que ela usava no braço. Ela respondeu que havia sofrido acidente de trânsito. Em seguida, o motorista perguntou se foi de moto e, logo depois, se ela estava sozinha no momento do acidente.

A partir deste momento, conforme depoimento da moça, “Igor fechou a cara e ficou quieto”. Quando chegaram ao condomínio, Igor desceu do carro, foi até o apartamento, pegou um revólver e voltou ao encontro do motorista. Ele disparou dois tiros contra a vítima. Após o crime, Igor fugiu, mas foi identificado como autor do crime durante investigações do GOI (Grupo de Operações e Investigações).

Igor já havia sido condenado por roubo a mão armada em 2015, sendo sentenciado a cinco anos e quatro meses de reclusão em regime fechado. Desde o ano passado, ele estava foragido do sistema prisional.

PUBLICIDADE