PUBLICIDADE

Motorista de aplicativo é morto após fazer três perguntas à esposa de foragido

Campo Grande News em 14 de Maio de 2019

Reprodução

Rafael Baron, morto após três perguntas feitas à esposa do suspeito

O motorista de aplicativo Rafael Baron, 24 anos, foi assassinado a tiros, na noite de ontem (13) no Jardim Campo Nobre, em Campo Grande. O acusado do homicídio é o foragido do sistema prisional Igor César de Lima de Oliveira, de 22 anos. Segundo a Polícia Civil, Igor teria ficado com ciúmes, somente porque o rapaz conversava com a esposa do suspeito durante uma corrida e fez três perguntas. A identificação do suspeito foi possível após investigação da equipe do GOI (Grupo de Operações e Investigações).

O delegado do 5º DP (Distrito Policial), Ricardo Meirelles, disse que ontem, por volta das 23h30, Igor estava com a esposa, grávida de quatro semanas, na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Jardim Leblon e pediu corrida para voltar para casa, no Condomínio Reinaldo Buzanelli. Com base no depoimento da esposa e da mãe de Igor César, a polícia descobriu a dinâmica do homicídio. Igor havia se sentado na frente e, a esposa, atrás.

Durante o trajeto, Rafael começou a conversar com o casal e puxou assunto com a moça. A primeira pergunta foi sobre a tipoia que ela usava no braço. Ela respondeu que havia sofrido acidente de trânsito. Em seguida, o motorista perguntou se foi de moto e, logo depois, se ela estava sozinha no momento do acidente.

A partir deste momento, conforme depoimento da moça, “Igor fechou a cara e ficou quieto”. Quando chegaram ao condomínio, o motorista perguntou a Igor se aquele era o endereço correto, mas o suspeito não respondeu e desceu do carro. A esposa de Igor disse que sim e ficou para trás, para pagar a corrida em dinheiro, R$ 8, enquanto o suspeito entrava no apartamento da família, no andar térreo, pela janela.

Divulgação/Polícia Civil

Igor César de Lima Oliveira também é foragido do sistema prisional

Quando entrou no apartamento, ela encontrou o marido voltando, armado. A mãe de Igor tentou segurá-lo, mas não conseguiu. Assustada e temendo ser o alvo, a jovem se escondeu no banheiro.

Igor César foi até o motorista e atirou à queima-roupa, atingido o motorista no braço e no pescoço. Há a suspeita de que Rafael Baron poderia ter tentado fugir, mas bateu nos carros estacionados no condomínio. Ele morreu no local.

A banalidade do homicídio chocou até os policiais. Igor César vai responder por homicídio duplamente qualificado – motivo fútil e sem chance de defesa da vítima.

A Polícia Civil divulgou a foto do suspeito, considerado perigoso. Como a arma do crime, provavelmente, um revólver calibre 38, não foi encontrado, acredita-se que ele ainda esteja armado.

Segundo testemunho da esposa, Igor tem ciúme doentio por ela. "Ele chegava a ter ciúmes até da relação entre nora e sogra", disse o delegado. A jovem disse que não havia sido agredida pelo marido.

Igor César Lima já havia sido condenado por roubo a mão armada em 2015, sendo sentenciado a cinco anos e quatro meses de reclusão em regime fechado. Desde o ano passado, ele estava foragido do sistema prisional.

PUBLICIDADE