Bolivianos celebram Virgem de Copacabana em Corumbá

Ricardo Albertoni em 06 de Agosto de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Este ano, mãe e filho, Aurora Torico Pinto (56) e Fernando Torico (38) foram encarregados de organizar e representar a festa

Com missa e tradicional procissão, os bolivianos comemoraram nesta segunda-feira, 06 de agosto, o dia da Virgem de Copacabana, em Corumbá. Essa parte da festa é realizada em solo brasileiro há 17 anos. A homenagem à santa, que acontece na mesma data da Independência do povo boliviano (193 anos em 2018), teve início com uma Missa, celebrada no Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, pelo padre Jacinto Ortiz, pároco da Igreja Imaculada Conceição, no Distrito de Albuquerque. Filho de bolivianos, o padre falou da satisfação e da importância da manutenção desse vínculo com o povo da fronteira.

“É uma alegria muito grande, como eu dizia durante a celebração, é importante não perdermos esse vínculo, essa raiz. O Brasil é um país com um grande coração, eu, por exemplo sou brasileiro, nascido e criado aqui, mas meus pais são bolivianos e com a oportunidade de celebrar essa Santa Missa, me sinto contente. Muitos que hoje estão aqui receberam uma graça da Virgem e vieram prestar homenagem à ela. É uma alegria muito grande sabermos que temos essa mãe que nos ama e que nos momentos difíceis da nossa vida está sempre ao nosso lado, caminhando conosco”, disse ao Diário Corumbaense o padre Jacinto.

A missa foi celebrada pelo padre Jacinto Ortiz, pároco da Igreja Imaculada Conceição no Distrito de Albuquerque

Após a celebração religiosa no Santuário e o ritual de cumprimento dos “pasantes”, este ano mãe e filho, Aurora Torico Pinto (56)  e Fernando Torico (38) que são os encarregados de organizar e representar a festa, os bolivianos seguiram o trajeto ao som de músicas típicas e danças folclóricas como a Morenada, pela rua Dom Aquino até a rua Luiz Feitosa Rodrigues, de onde seguiram de ônibus para o país vizinho, onde a festa teve continuidade.

Mare Montesilo Rojas levou a filha Maria Sielo Gonçales Montesilos, de 4 anos, com vestimentas representando o Distrito de Cochabamba. “Estamos muito felizes, é o dia da independência boliviana e meu povo está aqui representando com seu encanto demonstrando o quanto somos orgulhosos em ser bolivianos e devotos da Virgem de Copacabana”, contou.

Os bolivianos seguiram o trajeto ao som de músicas típicas e danças folclóricas

Na Bolívia, a imagem foi deixada em um centro social, onde lhe são rendidas homenagens durante três dias. A partir deste momento, a responsabilidade pela organização da festa é repassada para outro casal de “pasante” que se encarregará de ficar com a imagem da santa e providenciar as cerimônias religiosas visando a festa de 2019.

Nossa Senhora de Copacabana

A Basílica Nossa Senhora de Copacabana está situada na cidade de Copacabana, na Bolívia. É onde se encontra a imagem da santa, padroeira do País. A igreja foi construída no ano de 1550 em estilo renascentista e foi reconstruída entre 1610 e 1651. A reconstrução foi iniciada pelo arquiteto Francisco Jiménez de Sigüenza.

Para complementar a capela fechada, foi construída também uma capela aberta para cerimônias ao ar livre, como já era de costume para os indígenas. A igreja, continuou tendo ampliações, pois, com o passar dos anos, foi aumentando o número de pessoas que frequentavam a igreja, tanto católicos bolivianos e peruanos quanto visitantes do mundo todo.

A imagem da santa foi talhada por Francisco Tito Yupanqui, que era de linhagem real inca. Possui a pele morena como o povo da região e é enfeitada com várias joias preciosas, ouro e prata. O seu manto é trocado de tempos em tempos, assim como suas joias.

PUBLICIDADE