Governo só reduz ICMS do diesel se caminhoneiros liberarem estradas

Campo Grande News em 29 de Maio de 2018

O governador do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB) declarou, nesta terça-feira (29) estar disposto a reduzir o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do diesel, mas impõe condições, entre elas que os caminhoneiros terminem a greve e liberem as estradas. As tratativas ocorreram nesta manhã durante reunião a portas fechadas entre o governador e deputados estaduais.

As informações são do deputado Junior Mochi (MDB). Conforme explicou, o governo está aberto ao diálogo. Hoje o ICMS está em 17%. Além disso, outra condição é que a redução chegue de fato às bombas de combustível. Mochi ilustrou a questão ao falar da redução que ocorreu entre 2015 e 2016, que não provocou consumo de diesel e que não refletiu nos preços dos postos.

Ainda segundo o deputado, nas últimas 72h apenas dois caminhões chegaram a Mato Grosso do Sul. O governo também discute a queda da arrecadação em razão da greve, e não descarta reduzir os duodécimos, despesas repassadas aos poderes estaduais.

“Olha se realmente o governo não tiver uma arrecadação, tiver muito prejuízo, os poderes vão ter que sentar com o governo e rediscutir”, comentou Mochi.

Decreto

O governo do Estado decretou emergência. O decreto, que deve ser publicado em Diário Oficial nesta quarta-feira (30), prevê o uso de forças policiais, inclusive com a convocação de agentes de férias, para desbloquear rodovias estaduais por onde caminhões de cargas estejam sendo impedidos de passar.

O Executivo estadual também autoriza comprar emergenciais, ou seja, sem a necessidade de abertura de licitação, para a “manutenção dos serviços públicos essenciais”.

Greve

A greve dos caminhoneiros pede a redução do preço do diesel e de outros combustíveis, e já chega ao 9º dia nesta terça. A greve causou colapso em várias cidades, prejudicando o abastecimento dos tanques dos postos de combustíveis e também o desabastecimento parcial de supermercados, além de ter tido impacto no transporte coletivo, indústria e comércio.

PUBLICIDADE