PM deflagra operação em pontos com maior incidência de crimes

Lívia Gaertner em 03 de Maio de 2018

O 6º Batalhão da Polícia Militar de Corumbá deflagrou nesta quinta-feira, 03 de maio, a “Operação Fronteira 67” que tem por objetivo reduzir o número de delitos e crimes em áreas avaliadas com maior número de ocorrências relacionadas a furtos, roubos, tráfico e consumo de drogas.

Para a ação, todo o efetivo, segundo o comandante do Batalhão, tenente-coronel Massilon de Oliveira Silva Neto, será empregado em vários pontos da cidade onde vem se observando episódios dos crimes citados e grande número de reclamações da  população.

“É uma maneira de aproveitar da melhor forma os equipamentos, as viaturas e o próprio pessoal com readequação de horários, conforme períodos que a gente vem identificando que vem acontecendo maior índice de delitos para tentar reduzi-los e trazer maior sensação de segurança à população”, detalhou em entrevista coletiva.

“O efetivo vai ser chamado em horários de folga para cumprir uma escala extra de policiamento visando não prejudicar da equipe de serviço a capacidade de atendimento das ocorrências pelo 190 (telefone de emergência)”, disse ao afirmar que, com isso, o serviço regular não sofrerá prejuízo.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Tenente-coronel Massilon de Oliveira Silva Neto diz que Operação é estratégia de prevenção

O comandante fez questão de ressaltar que essa é uma estratégia  diante à situação encontrada nos efetivos em todo o Estado e que, em Corumbá, onde o quadro teria de ser de pouco mais de 280 homens, não é diferente. Ao preferir não revelar  a quantidade de policiais, ele resumiu que o efetivo está aquém do ideal e que a curto prazo não há previsão de ser sanado.

“Não tem mágica, a PM no Estado inteiro está com déficit de efetivo. Não dá pra dizer que há sobra de efetivo. O concurso está aberto, mas não é algo a curto prazo, muito provavelmente essas turmas só serão formadas no ano que vem, provavelmente lá pelo segundo semestre”, calculou.

Entretanto, o comandante esclareceu também que é equivocado pensar que, devido a essa situação instalada, há uma falha na prestação do serviço de segurança ou que os números de delitos e crimes vêm crescendo na cidade.

“Se pegarmos as estatísticas do primeiro trimestre de 2018, você vai perceber que houve uma queda, uma diminuição em relação a 2017/2016. Apesar de ter diminuído, elas têm se intensificado em certos locais como os de lazer público, a exemplo do Ginásio Poliesportivo e arredores, com reclamações de que pessoas estão fazendo uso de entorpecentes, praticando pequenos furtos e roubos”, destacou.

População tem que ser parceira

Durante a Operação Fronteira 67, a PM vai atingir também regiões como os assentamentos, distritos e povoados de Corumbá e Ladário. Para tanto, contará com a parceria de órgãos como o Conselho Tutelar, Guarda Municipal, Agetrat - Agência Municipal de Trânsito e Transporte.

A ação deve se estender ainda para além da fronteira com o país vizinho onde a Polícia Militar já manteve tratativas com a Policia Boliviana no sentido de cooperação para que a força estrangeira intensifique de igual forma as ações nas cidades fronteiriças da Bolívia.

Divulgação 6ºBPM

Comandante diz que abordagens a suspeitos serão intensificadas, principalmente em espaços de lazer, como praças e quadras esportivas públicas

Uma importante aliada, conforme o comandante, é a população. Originam-se no cidadão muitas das informações necessárias a um bom trabalho de manutenção da ordem e segurança.

“Não podemos estar em todos os lugares ao mesmo tempo, então é muito importante que a população diga o que os aflige, quem está causando e onde estão ocorrendo os maiores problemas para que possamos direcionar as ações nesses locais a fim de resolvê-los”, disse ao lembrar o trabalho junto aos conselhos de bairro e aos conselhos de segurança, que são mecanismos importantes dentro das estratégias de prevenção e combate à criminalidade.

“Muito embora as pessoas reclamem da lentidão, elas desconhecem que nós buscamos ir naqueles pontos que mais afligem a população. Infelizmente, não dá para resolver tudo de uma vez como gostaríamos e faríamos se tivéssemos efetivo suficiente”, justificou.

Nesta sexta-feira, 04 de maio, a PM irá promover uma reunião com os moradores do Flamboyant III, no bairro Guatós, para orientar e buscar essa parceria na troca de informações com a população dessa nova área residencial da cidade que vem registrando recentes casos de delitos e crimes.

A “Operação Fronteira 67”, segue até o final do mês na cidade e também serve como uma ação preventiva para o Festival América do Sul Pantanal (FASP), previsto para ocorrer entre os dias 24 a 27 de maio, quando a cidade também deverá contar com o reforço de efetivo de outras cidades para promover o policiamento no perímetro do evento.

PUBLICIDADE