Dourados: integrantes do PCC matam preso depois de obrigá-lo a gravar vídeo

Campo Grande News em 24 de Março de 2018

Encontrado morto, por enforcamento, na PED (Presídio Estadual de Dourados), na quarta-feira (21), o detento Divino Ferreira, 28 anos, o “Chimbinha”, aparece em um vídeo admitindo que era simpatizante da facção Comando Vermelho e que por isso iria morrer. O vídeo traz as vozes de outros dois presos, que seriam do PCC (Primeiro Comando da Capital), grupo rival ao CV, ordenando as falas de “Chimbinha”. 

Reprodução

Em frente ao aparelho celular, o preso afirma ter sido simpatizante do CV e que deixaria um recado

O corpo foi encontrado enforcado, dando a ideia de suicídio, que foi descartada em razão das marcas de violência. A gravação indica que foi tudo premeditado pelo PCC. Um segundo vídeo, que circula nas redes sociais, confirma isso e mostra detentos cometendo o assassinato por encorcamento e depois arrastando o corpo. 

A primeira gravação começa com Divino se apresentando e confessando ter baleado duas crianças e uma senhora. Em frente ao aparelho celular, o preso afirma ter sido simpatizante do CV e que deixaria um recado.

“Meu nome é Divino Ferreira, baleei duas crianças e uma senhora. Fui simpatizante do Comando Vermelho, oposição, e hoje venho deixar um recado aqui para todos, que está aqui no MS, no estado do MS, que quem tá aqui é o PCC. É o PCC que tá na pista aí, dando recado para os “coisa brava”, que é a oposição (sic)".

Neste momento do vídeo, Divino é orientado por quem está gravando a revelar o nome de supostos líderes do Comando Vermelho e dizer que quem se aliar a eles, irá morrer. “Luizão, o Cabeça de Porco, o Chiquinho, o Paulo Maconha, o Diego Tripa [...] quem manda é o PCC e a cabeça de vocês tá molhado. Quem correr com esses cara tá molhado para eles, porque o PCC que tá. O PCC vai pegar, vai morrer que nem eu, se caso eu for morrer aqui hoje, entendeu?(sic)”.

Mais uma vez Divino é interrompido pelo rival, que manda ele afirmar e deixar claro que irá morrer, por ser simpatizante da oposição, no caso o Comando Vermelho. “Eu vou morrer hoje entendeu, porque eu fui simpatizante do CV, da oposição, e chamava o PCC de PCchoque, PCcu e, por isso, que eu vou morrer(sic)”.

Pela terceira vez ele é interrompido e desta vez orientado a dar um recado aos “moleques novos” e que “ainda não entendem do crime”. “Aí irmão, esse hora de chegar em qualquer cadeia procurar sempre estar do lado do Primeiro Comando da Capital, que é o PCC, entendeu? Esse é o verdadeiro crime, que não existe corrupção, não existe nada(sic)”.

Pouco antes da gravação finalizar, o executado é questionado se acha sua morte justa, por ter “batido faca” ao PCC, que afirma não saber se acha justo ou não, porque sempre errou, mas pressionado responde que sim.

Caso

Divino Ferreira, 28, o “Chimbinha”, foi encontrado morto por enforcamento na PED (Penitenciária Estadual de Dourados). O corpo foi achado por volta de meio-dia de quarta (21) no pátio do raio II do presídio, onde ficam detentos ligados às facções criminosas.

De acordo com o boletim de ocorrência, Divino estava pendurado em uma grade, no pátio do pavilhão. Provavelmente tenha sido morto durante o banho de sol. O caso foi registrado na Polícia Civil como morte a esclarecer, mas o corpo tinha sinais de violência, o que afasta a possibilidade de suicídio.

Condenado por tráfico de drogas, Divino Ferreira tinha sido transferido de Ponta Porã para Dourados no dia 16 de março. A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) ainda não se manifestou sobre a morte do detento.

PUBLICIDADE