PUBLICIDADE

"Perdi a paciência e dei socos no rosto e em todo corpo", diz lutador de muay thai que espancou enteado de 5 anos

G1/MS em 01 de Dezembro de 2021

Reprodução/Polícia Civil

Segundo a polícia, o homem se recusou a ajudar a criança com a higiene pessoal, o que motivou a agressão

“Eu perdi a paciência com ele e comecei a agredi-lo com tapas no rosto e em todo corpo”, disse homem, de 20 anos, lutador de muay thai, durante depoimento pela suspeita de torturar e espancar uma criança de 5 anos em Chapadão do Sul (MS).   

De acordo com o delegado da Polícia Civil do município e responsável pela investigação, Felipe Machado Potter, a criança ficou aos cuidados do padrasto na tarde de segunda-feira (29), enquanto a mãe trabalhava. 

O lutador se relacionava com a mãe da vítima há oito meses e todos moravam juntos. A mulher disse em depoimento que nunca tinha observado nada estranho na conduta dele. 

Em determinado momento, o menino foi ao banheiro, e pediu para que pegasse o papel higiênico para realizar a higiene pessoal, mas o lutador se negou e “perdeu” a paciência com a insistência da criança.      "Ele pediu para que eu pegasse o papel higiênico, porém me neguei porque sabia que ele dava conta de fazer isso sozinho, mas ele continuou insistindo para que eu o ajudasse, e nesta hora perdi a paciência com ele porque já estava atrasado”, disse o lutador durante o depoimento.   

Quando a mãe do menino voltou para casa, após o trabalho, percebeu as marcas do espancamento no filho e acionou a Polícia Militar e mandou o homem embora. A mãe conversou com o filho que revelou que o homem tinha batido em seu rosto com tapas e socos e com um cinto em seu corpo.     

Posteriormente, o caso foi encaminhado a Delegacia da Polícia Civil de Chapadão do Sul, que seguiu com as investigações para capturar o suspeito. O homem foi preso em flagrante por equipes de segurança tentando fugir para a cidade de Paraíso das Águas, em meio à mata na zona rural.   

Segundo o responsável pela investigação, o menino precisou ser encaminhado ao Hospital Municipal para atendimento e o Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o caso.   

O lutador passará por audiência de custódia, que ainda não foi designada. Ele foi preso em flagrante pelo crime de tortura qualificada e a Polícia Civil representou pela prisão preventiva.

PUBLICIDADE