PUBLICIDADE

Armado com facas, casal vai parar na delegacia após confusão em frente a mineradora

Leonardo Cabral em 08 de Novembro de 2021

Mulher de 42 anos e homem de 45 anos, foram parar na Delegacia de Polícia Civil de Corumbá após acusação de ameaçar com faca funcionários de uma mineradora, localizada na rodovia BR-262, por volta das 21h20 de domingo, 07 de novembro. Os dois também teriam xingado e arremessado um tênis contra as equipes das Polícias Militar e Rodoviária Federal que atendiam a ocorrência.

O casal ainda é apontado como responsável por colocar o caminhão – que ambos ocupavam – como “bloqueio”, para que outros veículos não tivessem acesso à mineradora. O homem e a mulher também são acusados de ameaçar outros caminhoneiros que estavam no local, alguns com família. Um vigilante da mineradora, teve que se esconder, após o autor correr atrás dele com intenção de esfaqueá-lo. A mulher também portava uma faca. Ambos estariam embriagados.

Com a chegada da PM, foi dada ordem para que os dois saíssem do veículo. O homem obedeceu, mas a mulher resistiu em sair do caminhão e passou a ofender os policiais e ameaçá-los. O autor informou que estava no local para carregar seu caminhão e, por não conseguir, se revoltou com a situação e usou o veículo para bloquear o local.

Por conta da situação, foi informado que ambos seriam encaminhados à Delegacia de Polícia. O homem não reagiu, mas não quis entregar o telefone celular. Já a mulher, saiu do caminhão e arremessou um par de tênis contra os policiais, vindo a acertar o rosto de um deles. Ela foi contida e dizia ter sido agredida pelos funcionários da mineradora.

Vendo a esposa sendo contida, o homem que já estava no compartimento de presos da viatura policial, ficou agressivo e começou a danificar o veículo com chutes e socos, nas grades, vidros, lanternas traseiras, escudo balístico, carenagens da porta e encosto almofadado. A mulher chegou a pedir que o marido se acalmasse, dizendo estar tudo bem, mas ele continuou a danificar o compartimento de preso. Foi necessário que a guarnição segurasse a porta do compartimento para que o autor não a abrisse com os chutes e socos.

No trajeto até a Delegacia, feito com apoio de uma equipe da PRF, o homem mandava mensagens de celular para alguém e seguia danificando a viatura com chutes e socos e a mulher continuava com as ameaças contra os PMs. Na 1ª DP foi necessário apoio de  guarnições da PRF, da Rádio Patrulha e dos policiais civis para retirá-los da viatura. A mulher se recusava a sair do carro da Polícia Militar e o marido continuava danificando a viatura e resistia ao uso de algemas. Ambos tinham lesões, a mulher alegando ter sido vítima de agressão por parte de funcionários e o homem pelo comportamento agressivo.

O caso foi registrado como ameaça; resistência; desacato; dano qualificado, se o crime e cometido contra o Patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionaria de serviços públicos. O boletim de ocorrência 4221/25021 o qual o Diário Corumbaense teve acesso, menciona que no interior do caminhão, na porta do motorista, foram encontrados um facão e um porrete de madeira.

PUBLICIDADE