PUBLICIDADE

Polícia prende homem que usava perfil falso e chantageava vítimas para não divulgar vídeos íntimos

Leonardo Cabral em 01 de Outubro de 2021

Divulgação/Polícia Civil de Ladário

Homem foi preso em flagrante quando tentava extorquir dinheiro de uma das vítimas

Indivíduo de 21 anos foi preso em flagrante, no bairro Maria Leite, em Corumbá, pelo SIG (Setor de Investigações Gerais) da Delegacia de Ladário, na tarde de quinta-feira (30), suspeito de praticar crime de extorsão. Ele se passava por mulher nas redes sociais, seduzia homens e, então, por meio de chantagem, arrancava dinheiro das vítimas.

De acordo com as investigações, o suspeito utilizava um perfil feminino falso no WhatsApp e Facebook, onde "paquerava" homens. Após criar certa intimidade, conseguia obter fotos e vídeos íntimos.

O próximo passo era ameaçar divulgar as imagens caso as vítimas não pagassem o valor exigido ou praticassem atos libidinosos com uma terceira pessoa indicada por ele, que na realidade, era o próprio.

Prisão em flagrante

Uma das vítimas registrou boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil no momento em que ele exigiu a quantia de R$ 5.000,00 através do perfil falso do WhatsApp, para não divulgar o material íntimo.

Divulgação/Polícia Civil de Ladário

Prisão ocorreu no bairro Maria Leite

Por conta disso, os policiais do SIG identificaram o suspeito e seu endereço, realizando a prisão em flagrante. Ainda foram encontrados depósitos da vítima em nome do suspeito, assim como apreendido o aparelho celular que estava em sua posse, verificando-se que se tratava do mesmo chip utilizado nas conversas com o perfil fake.

“Sextorsão”

A nomenclatura “sextorsão” é uma definição doutrinária quando o criminoso obtém ou tem em seu poder fotos e vídeos sensuais - popularmente conhecidos como “nudes” - e passa a exigir vantagens da vítima mediante chantagem e, caso esta não ceda aos seus desejos, ameaça divulgar o material íntimo.

No caso, por se tratar de chantagem financeira, a conduta foi enquadrada como extorsão (Art. 158 do CP), com pena de 4 a 10 anos de reclusão.

A investigação ainda prossegue para apurar a extensão dos fatos e novas vítimas. A população pode realizar denúncias na Polícia Civil de Ladário via aplicativo WhatsApp pelo número (67) 99668-1679. O sigilo da identidade e do número telefônico são mantidos.

PUBLICIDADE