PUBLICIDADE

Casal vai desenhando e colorindo a própria história com trabalho voltado para a arte de tatuar

Leonardo Cabral em 12 de Junho de 2021

Arquivo pessoal

A cada dia, casal vai fortalecendo a história de amor que começou há seis anos

Uma paixão em comum, a arte da tatuagem, uniu o casal Máximo Ramão Santos Yegro Duarte e Raquel Corrêa Grisostimo Duarte. Juntos, eles vão desenhando e colorindo a própria história enquanto trabalham lado a lado.

O que para muitos casais não daria certo, o convívio diário e direto, para eles, acaba aumentando a cumplicidade, tanto na questão profissional, como também no relacionamento a dois. O casal se conheceu em uma academia e de lá pra cá já são seis anos de cumplicidade, metade deles, casados. A história ganhou um capítulo a mais quando a arte da tatuagem, passou a fazer parte da rotina. Máximo foi quem deu o pontapé inicial.

“Ele estava na Marinha e como já iria sair do serviço militar, começou o interesse pela tatuagem e, eu, na época, me dedicava à área da estética, com cílios, maquiagem e cursava a faculdade de Psicologia. Pouco a pouco fomos nos acertando e convivendo e quando passamos a morar juntos, ele já montou um pequeno estúdio na nossa cozinha, era uma área bem pequena que só cabia ele e o cliente”, relembrou Raquel ao Diário Corumbaense.

Com o passar do tempo, Máximo conseguiu montar um espaço maior em um quarto da casa, local que também era dividido com os clientes que procuravam os serviços de estética. “Esse espaço no quarto eu dividia com ele, para atender as clientes, eram poucas, mas eu atendia e ele também os dele”, mencionou Raquel. Sobre essa fase, Máximo completou: “eu ficava muito bravo em vê-la quatro horas colocando cílios nas clientes, para ganhar apenas R$ 70,00. Era injusto pelo tempo que ela ficava e também pela qualidade do trabalho, pois ela fez um monte de cursos. Mas, sempre a apoiava e dizia isso”.

Arquivo pessoal

Raquel e Máximo durante o trabalho

Desde então, Raquel começou a mostrar interesse na tatuagem, claro, após uma longa e boa conversa entre os dois. No começo, ela até achou que o ofício de tatuar seria fácil. O primeiro a trabalhar na área antes dela, foi o irmão. Ao observar o marido ensinando o irmão, ela começou a se interessar e ganhar gosto pelo trabalho. “Eu treinava em pele de porco. Mas com o passar do tempo, você vai ganhando confiança e quando atendi o primeiro cliente mesmo, fiquei bastante nervosa, mas me saí bem, pois, o apoio do Máximo foi fundamental e essencial”, afirmou a tatuadora.

O que também contribuiu com a decisão de ser parceira de profissão do marido foi a chegada do filho. “Confesso que depois que tivemos o nosso filho, antes, tinha sonho de prestar concurso militar. Eu cursava a faculdade, porém, ele foi a prioridade no momento. A faculdade que era minha prioridade, desanimei. Foi então que resolvi aprender a tatuar, pois não queria sair de perto do meu filho e como estávamos trabalhando dentro de casa, isso era essencial”, contou.

Máximo, depois de tantas conversas com a esposa, vê em Raquel, além de profissional dedicada, uma mãe presente e acima de tudo companheira não só de trabalho, mas de vida. Ele faz questão de frisar a admiração pela esposa.

Arquivo Pessoal

Trabalho lado a lado só fortaleceu a parceria pessoal e profissional

“O fruto do nosso amor, a necessidade de estar com ele por perto, nosso filho, nos fez crescer cada vez mais e hoje, passamos a maior parte do tempo trabalhando juntos. Conseguimos conversar, ter mais momentos juntos mesmo, uma convivência legal e respeitosa. Diria que de 100%, hoje, 89% temos uma boa convivência, não temos tempo nem para brigar”, falou Máximo aos risos.

“Eu fico muito feliz em ver nela essa dedicação, ainda mais por ser premiada na área. É muito orgulho que tenho da minha esposa. Sempre a incentivei, ficava olhando quando ela colocava cílios, via a firmeza da mão dela e isso foi um ponto positivo para começar. Atualmente, eu trabalho com tatuagens maiores, realistas; ela com as pequenas. Assim, vamos caminhando e fortalecendo cada vez mais a nossa história”, finalizou o tatuador.

PUBLICIDADE