PUBLICIDADE

Covid-19: "o colapso é iminente", diz secretário sobre mortes e ocupação de leitos

Campo Grande News em 07 de Junho de 2021

Divulgação

UTI ocupada em São Gabriel do Oeste

A segunda-feira (07) chega com a notícia de mais 63 óbitos por covid-19 em Mato Grosso do Sul. "Número é exageradamente grande para um estado do tamanho do nosso”, alertou novamente o secretário de Saúde, Geraldo Resende.

O momento é considerado “extremamente difícil”, de "iminente colapso", nas palavras do secretário. São 52,9 óbitos por dia nos últimos 7 dias e 1.783 contaminados em média a cada 24 horas.

“É preciso medidas mais enérgicas em todo Mato Grosso do Sul”, voltou a avaliar o secretário. “Vemos casamento sendo celebrados, gravação de DVD na Capital e uma parcela significativa da população é aliada do vírus. São os abutres da morte”, atacou Resende.

O Estado tem quase 271 pessoas na fila de espera por leitos clínicos e de UTI, 164 na Capital. Em todas as macrorregiões há mais de 100% de ocupação de leitos. Em Campo Grande, o índice chega a 108%, ou seja, 8% a mais que a capacidade máxima.

Desde semana passada, o Estado já transfere pacientes para outras regiões. Para São Paulo - Capital, 5 pacientes foram ontem e hoje outros 5 serão transferidos. Segundo Geraldo Resende, São Bernardo do Campo liberou mais 5 leitos de UTI e 5 clínicos. Ainda sobra 1 vaga em Porto Velho, Rondônia, que também abriu as portas para Mato Grosso do Sul.

PUBLICIDADE