PUBLICIDADE

Ágata Oeste: brasileiro que seguia para Corumbá é preso com 31 kg de cocaína

Leonardo Cabral em 25 de Março de 2021

Diário Corumbaense

Droga estava sendo transportada em carro que seguia sentido Bolívia-Brasil

Homem de aproximadamente 25 anos, de nacionalidade brasileira, foi preso em flagrante transportando cocaína, por volta das 19h, de quarta-feira, 24 de março. Ele estava em um carro, na estrada do Jacadigo, área rural de Corumbá, e foi abordado pela equipe do 17° Batalhão de Fronteira, que integra a Operação Ágata Oeste, deflagrada esta semana.

Durante a revista no veículo, conforme apurou o Diário Corumbaense, os militares do Exército encontraram a droga, que estava dividida em tabletes. O entorpecente pesou 31 quilos. O homem preso seguia sentido Bolívia - Brasil e não revelou onde entregaria a droga. Ele e a cocaína foram levados para a Polícia Federal de Corumbá, onde foi feito o flagrante por tráfico de drogas. 

Operação Ágata Oeste

Diário Corumbaense

Droga, após pesada, totalizou 31 kg de cocaína

A operação Ágata Oeste teve início na segunda-feira, 22 de março. A ação, que tem como principal objetivo conter crimes transfronteiriços, acontece de forma simultânea nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e é coordenada pelo Ministério da Defesa (MD), sendo executada pelo Comando Conjunto Oeste (C Cj O), como foco em apoiar os órgãos de Segurança Pública e Agências de Fiscalização (OSPF) no combate aos delitos na região de fronteira, incluindo ambientais.

As fiscalizações são realizadas em todas as áreas de Corumbá e Ladário, principalmente as que dão acesso à região de fronteira, como no Posto Esdras, que fica na divisa entre os dois países, bem como estradas vicinais (áreas rurais) e também o posto de fiscalização Lampião Aceso, que fica às margens da BR-262.

Comentários:

Helmut Martines da Silva: Parabéns aos nossos bravos militares do nosso exército brasileiro. Penso que o governo estadual e federal, deveriam fiscalizar mais as nossas fronteiras. Mais sabemos que o baixo contigente e a falta de investimentos têem contribuído para a incidência do descaminho e o trafico de drogas.

PUBLICIDADE