PUBLICIDADE

PMA prende dois piloteiros por pesca predatória na região de Albuquerque

Leonardo Cabral em 11 de Fevereiro de 2021

Divulgação/PMA

Três espécies de peixes foram apreendidas com os piloteiros moradores de Corumbá

Dois piloteiros, um de 19 e outro de 55 anos, foram presos em flagrante após a Polícia Militar Ambiental, constatar que a dupla, moradora de Corumbá, usava rede de pesca, petrecho proibido, e tinha acabado de retirar e abater dois peixes da espécie pintado e um da espécie cachara, pesando 23 kg ao todo. A prisão aconteceu nesta quinta-feira, 11 de fevereiro.

Os policiais realizavam fiscalização no rio Paraguai, na região do Distrito de Albuquerque, nas proximidades da foz do rio Miranda, quando flagraram os dois homens. Eles iniciavam a pescaria e tinham capturado apenas os três exemplares de pescado com o petrecho ilegal.

A PMA ressalta que o poder de captura deste tipo de petrecho, em uma noite no rio, a degradação seria muito grande, principalmente, se encontrassem um cardume.

Foram apreendidos um barco, um motor de popa com tanque e uma rede de pesca, medindo 100 metros e o pescado. Os pescadores foram levados para a Delegacia da Polícia Federal e responderão por crime ambiental de pesca predatória.

Divulgação/PMA

Foram apreendidos um barco, um motor de popa com tanque e uma rede de pesca

Caso sejam condenados poderão pegar pena de um a três anos de detenção. Os pescadores também foram autuados administrativamente e receberam multa de R$ 1.260,00 cada um.

Fiscalização é necessária

Prisão deste tipo indica a necessidade de fiscalização preventiva diuturnamente nos rios, da forma que a PMA está fazendo, principalmente durante a piracema.

Mais dois presos durante à noite, o que confirma os levantamentos do serviço de Inteligência da PMA, de que os infratores que estão se arriscando a praticar pesca predatória, estão indo para os rios no período noturno, principalmente pela facilidade de fuga e, consequentemente, a Polícia Militar Ambiental tem priorizado a fiscalização preventiva à noite e madrugada.

No dia 04, à noite, três pescadores já tinham sido presos no rio Paraguai, na região conhecida como Bracinho.

PUBLICIDADE