PUBLICIDADE

Polícia paraguaia mata 3 suspeitos de sequestro na fronteira

Campo Grande News em 17 de Dezembro de 2020

Confronto entre policiais paraguaios e supostos integrantes de quadrilha de assaltantes e sequestradores deixou pelo menos três mortos na madrugada desta quinta-feira (17) na faixa de fronteira com o Brasil. Os mortos faziam parte do bando criminoso. Outros cinco suspeitos foram presos.

Liderada pelo promotor Federico Delfino, a Operação Sapukái envolve equipes do departamento antissequestro da Polícia Nacional do Paraguai e da FTC (Força-Tarefa Conjunta), grupo de elite formado por policiais e homens das forças armadas paraguaias.

O confronto ocorreu em uma propriedade rural em Cerro Memby, a 90 quilômetros de Ponta Porã (MS). O local fica na região de Yby Yaú, cidade localizada no Departamento (equivalente a Estado) de Concepción.

Informações apuradas pela reportagem revelam que a fazenda pertence ao narcotraficante sul-mato-grossense Jarvis Gimenes Pavão, atualmente preso em território brasileiro.

O porta-voz da FTC, Luis Apesteguía, disse em entrevista à rádio 780 AM que os suspeitos reagiram atirando e foram abatidos pelos policiais. Nenhum agente da polícia ficou ferido. Ao jornal ABC Color, Apesteguía afirmou que a quadrilha se dedicava a extorquir comerciantes e fazendeiros.

Apesar de a região fazer parte da área de atuação do EPP (Exército do Povo Paraguaio), ele descartou ligação do bando com o grupo guerrilheiro. “Há informação de que pretendiam se passar por eles [EPP], mas não se relacionam com grupos ideológicos”, afirmou. Os integrantes do EPP são marxistas.

Perto dali, em 09 de setembro, o EPP sequestrou o ex-vice-presidente do Paraguai Óscar Denis Sánchez, de 74 anos. Hoje faz cem dias que ele está em poder dos guerrilheiros. 

PUBLICIDADE