PUBLICIDADE

PF investiga grupo que fraudava Bolsa Família e atendimento pelo SUS para estrangeiros

Rosana Nunes em 07 de Outubro de 2020

Divulgação/Polícia Federal

Investigações da Polícia Federal iniciaram em 2019

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (07), a operação Raízes para desarticular esquema fraudulento para obtenção de autorizações de residência, auxílio emergencial, Bolsa Família e acesso ao SUS (Sistema Único de Saúde) a estrangeiros não residentes no Brasil.

O juízo da 1ª Vara Federal de Corumbá expediu 14 mandados de busca e apreensão (13 em Corumbá e 1 em Campo Grande) e cerca de 60 policiais federais foram mobilizados na ação.

Divulgação/Polícia Federal

Com os documentos fraudulentos, estrangeiros obtiveram até benefícios sociais no Brasil

Segundo a PF, em 2019, o Núcleo de Imigração da Delegacia de Polícia Federal de Corumbá constatou que vários estrangeiros, normalmente com auxílio de “despachantes de serviços migratórios”, formalizavam o pedido de autorização de residência utilizando declarações que seriam  falsas.

As investigações apontaram que estrangeiros fizeram uso de autorizações obtidas de maneira fraudulenta para conseguir a emissão do cartão do SUS e a concessão de benefícios como o Auxílio Emergencial e o Bolsa Família.

Divulgação/Polícia Federal

Alguns dos documentos fraudados e dinheiro apreendido na operação

Até agora, os policiais já identificaram ao menos 106 fraudes contra a União. Os investigados, bolivianos e brasileiros - que segundo a PF não têm ligação com órgãos públicos -, poderão responder pelos crimes de organização criminosa, estelionato contra a União, falsidade ideológica e uso de documento falso.

A Operação foi denominada “Raízes” em razão de os estrangeiros investigados terem obtido, ilegalmente, autorização de residência e outros benefícios sem terem criado quaisquer vínculos com o Brasil. Com informações da assessoria de comunicação da Polícia Federal.

PUBLICIDADE