PUBLICIDADE

Na Bolívia, homem que era foragido da Justiça do Brasil foi queimado em praça pública

Leonardo Cabral em 14 de Setembro de 2020

Reprodução/ El Deber

"Paraguaio" foi levado até praça e teve o corpo queimado

O procurador do departamento de Santa Cruz, Róger Mariaca, disse que as autoridades do Ministério Público estão investigando o assassinato de um homem conhecido como "Paraguaio", ocorrido no fim de semana na comunidade Las Petas, no município de San Matías, na Bolívia.

De acordo com o jornal El Deber, “Paraguaio” era foragido da Justiça Brasileira e Boliviana e era o principal acusado de ter matado quatro pessoas na zona de fronteira, crimes pelo quais existem outros quatro indivíduos detidos na prisão de Palmasola.

“As pessoas (população) o prenderam inesperadamente e o queimaram”, relatou o procurador nesta segunda-feira, 14 de setembro, durante uma entrevista coletiva, na qual deixou claro que a população deveria ter detido o homem e entregado à polícia.

“Resolveram fazer justiça com as próprias mãos. Entendemos a indignação do povo, mas não foi o procedimento para esclarecer esse fato”, disse a autoridade do Ministério Público.

Reprodução/Clave 300

Identidade de brasileiro estava sobre seu corpo antes de ser incendiado na fogueira em praça pública

Mariaca disse que serão investigadas as ações das pessoas que mataram o homem procurado pela Polícia e disse que a razão para este fato tem a ver com a sede de vingança dos familiares das pessoas assassinadas por "Paraguai".

A morte

Paraguaio, que teria assassinado as quatro pessoas no município de San Matías (687 km de Santa Cruz de la Sierra), foi morto a tiros na tarde de sábado (12) por um grupo de pessoas, que o encontrou dormindo em alguns arbustos entre as cidades de La Candelaria e Natividad.

O corpo foi posteriormente levado para a comunidade de Las Petas (90 km de San Matías), e queimado em praça pública. O caso foi testemunhado por militares do Exército, que não impediram a ação de moradores. 

PUBLICIDADE